terça-feira, 30 de novembro de 2010

COMUNICADO SOBRE A MUSICA DE PRESENTE PARA CLAUDIO LINS!!

Gente venho por meio deste comunicado informar voces, a respeito do que ocorreu com o fonograma que foi produzido, afim de presentear a Claudio Lins, por oicasião de seu aniversaio. Bem, a musica foi concluida e eu recebi a versão demo da mesma.
Ela se chama FAZ BEM PRA MIM.. e ficou bastante singela e acolhedora.. fofinha eu diria hahahaha.. Luciano realmente respeitou muito os versos que entreguei a ele na hora de compor. Gostei bastante do resultado final, levando em consideração que se trata apenas de uma demo e que muita coisa ainda pode ser alterada e/ou melhorada na canção, e sinceramente espero que voces tambem a aprovem quando puderem escuta-la.
Assim que Claudio der algum sinal de que tomou conhecimento da midia.. eu a liberarei para que voces possam ouvi-la, aqui pelo blog mesmo.. novamente agradeço pela colaboração de todos aqui do biscoito para a efetivação deste projeto.. meninas voces foram incriveis!!.. Claudio ficara bastante orgulhoso de saber que tem fãs tão maravilhosas como voces :).. e acho que era isso o que eu queria dizer-lhes hahaha.. beijão e até mais.. quando ocorrera a oitiva da canção :S

Atenciosamente,

Raquel Santos

RECORDAÇÕES DE MINHA VIAGEM A OURO PRETO - PRIMEIRA PARTE - CONTRIBUIÇÃO DE JOSÉ EUGÊNIO

Amigos e amigas, conforme prometido começo a publicar algumas fotos de minha viagem a Ouro Preto ocorrida entre os dia 08 a 11 desse mês.


AEROPORTO DE LONDRINA


PISTA DO AEROPORTO DE LONDRINA


O AVIÃO EM QUE EMBARQUEI EM LONDRINA


VISTA DO AEROPORTO DE LONDRINA DE DENTRO DO AVIÃO


VISTA DO AEROPORTO DE CURITIBA DE DENTRO DO AVIÃO


VÔO ENTRE CURITIBA E SÃO PAULO


VÔO ENTRE CURITIBA E SÃO PAULO


VÔO ENTRE CURITIBA E SÃO PAULO


AEROPORTO DE GUARULHOS


VISTA DO AEROPORTO DE GUARULHOS DE DENTRO DO AVIÃO


VÔO ENTRE SÃO PAULO E BELO HORIZONTE


VÔO ENTRE SÃO PAULO E BELO HORIZONTE


MEU QUARTO NA POUSADA SINHÁ OLÍMPIA - OURO PRETO


MEU QUARTO NA POUSADA SINHÁ OLÍMPIA - OURO PRETO


VISTA DA JANELA DO MEU QUARTO NA POUSADA SINHA OLÍMPIA


VISTA DA JANELA DO MEU QUARTO NA POUSADA SINHÁ OLÍMPIA


VISTA DA JANELA DO MEU QUARTO E FUNDOS DA POUSADA SINHA OLÍMPIA


IGREJA DO CARMO - OURO PRETO


TEATRO CASA DA ÓPERA - OURO PRETO


TEATRO CASA DA ÓPERA


TEATRO CASA DA ÓPERA


TEATRO CASA DA ÓPERA


TEATRO CASA DA ÓPERA

TÚNEL DO TEMPO MUSICAL - FOREVER BY YOUR SIDE - MANHATTANS

A música Forever by Your Side, interpretada por Manhattans, foi tema da novela A Gata Comeu, exibida pela Rede Globo, no horário das 18 h., entre 15 de abril e 19 de outubro de 1985.
Para maiores informações sobre a novela, favor consultar: http://www.teledramaturgia.com.br/tele/comeu.asp.
Após o vídeo com tradução, colocamos a letra da música.
Por fim, queremos agradecer e homenagear a biscoitinha Kely Cardoso que deu a dica da música.
Boa audição!

video


Forever By Your Side

Friends, we started out as friends
Friends turned into lovers
Do you remember when

I held you
For the very first time
Love me it is so easy girl
For me to speak my mind

I've said:
I want you
I need you
Oh girl how I believe in you
You're the light that has always seen me through
In you I could find
That I will be
Forever by your side

Now we see our love has grown
And these have been the sweetest times
That I have ever known
And I know that it will never end,
'Cause every time I look at you,
I fall in love again

I want you (want you)
I need you (need you)
Oh girl how I believe in you (you’re the light)
You're the light (that shines)
That has always seen me through
In you I could find
That I will be
Forever by your side

Longer than the sun will shine,
Love is a tie that binds, forever, forever
Two hearts are meant to be one love eternally
Together (together), forever, forever

I want you
I need you
Oh girl how I believe in you
You're the light that has always seen me through
In you I could find
That I will be
Forever by your side

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

CRÔNICA "AEROPORTO DE CONGONHAS, UMA, DUAS, VÁRIAS VERGONHAS" - AUTOR: CARLOS EDUARDO NOVAES

Ao ser inaugurado, em agosto de 1934, Congonhas era considerado um modelo de "obra aeroviária". Como todo bom aeroporto que se preza, também ficava a alguns minutos da cidade. Cedo, porém, os executivos paulistas, sempre muito atarefados, começaram a reclamar que não podiam perder esses minutos entre a cidade e o aeroporto.
- O senhor compreende - queixou-se um executivo a uma autoridade da época - esse percurso nos rouba um precioso tempo. Será que não dá pra chegar a cidade um pouquinho mais para perto do aeroporto?
A autoridade fez um ar de indignação e exclamou que a proposta "era um absurdo"; mas como São Paulo não pode parar - e não pode parar nem pra pensar - não tomou nenhuma providência. A cidade então foi se aproximando, já ajudada pela população em geral, que desde o início se amarrou em fazer programa no aeroporto. Várias famílias inclusive venderam suas casas de campo e compraram ou­tras em Congonhas para poderem passar um fim de semana mais tranqüilo no aeroporto. A cidade continuou sorratei­ramente se aproximando, se aproximando, pegou as autori­dades distraídas e de repente fez o que os índios fazem com as diligências nos bangue-bangues americanos: cercou o aeroporto.
Hoje, os aviões sobem e descem passando a dois palmos dos telhados das casas e, enquanto outros locais da cidade exaltam suas pracinhas, igrejas, monumentos, lagos, residên­cias, Congonhas se vangloria de ser o único bairro metropo­litano em todo o mundo que possui um aeroporto interna­cional na esquina de suas ruas.
O Aeroporto de Congonhas é um digno exemplo do milagre brasileiro. É realmente um milagre que no local ainda não tenha havido um acidente de proporções super­sônicas. O aeroporto está condenado desde o congresso brasileiro aeronáutico, realizado em 1958. Sua pista prin­cipal tem 1 mil 867 metros e não oferece os padrões de segurança necessários às operações com jatos. Para vocês terem uma idéia: um Boeing-727 necessita de 3 quilômetros de pista para aterrissar ou decolar. E não é muito raro se ver um avião, ao pousar, abrir os pára-quedas, para não varar a pista e sair lá pela Avenida Rubem Berta. Ano passado, um turboélice errou nas contas, atravessou a pista e foi bater num poste na Avenida Jabaquara, causando o maior congestionamento no trânsito. A perícia demorou três horas para chegar (o que não é muito: para os carros demora duas horas) e entre outras coisas concluiu que a empresa deveria pagar uma multa ao Detran.
- Mas - indagou o funcionário da empresa - multa por quê?
- Por avanço de sinal, é claro - disse o perito. ­Várias testemunhas afirmaram que o sinal estava fechado para o seu avião.
E o pior, meus amigos, é que as pistas de Congonhas não podem ser aumentadas, sob pena de se misturarem com as ruas. Já se pensou na solução dos viadutos. São Paulo seria a primeira cidade do mundo a ter uma pista de pouso em cima de um viaduto. Depois, porém, chegou-se à con­clusão de que, pelo tamanho, seria muito oneroso: para satisfazer aos jumbos a pista do aeroporto teria que começar mais ou menos na Praça da República.
Vivendo anos debaixo do ruído permanente das aero­naves, os. moradores de Congonhas, aos poucos, foram modificando seus hábitos, seus costumes, seus encontros:
- Eu queria dar um pulinho aí para lhe ver - disse uma amiga da tia do Aristides, falando pelo telefone.
- Venha mesmo - respondeu a tia - que nós pre­cisamos conversar.
- E qual é a melhor hora pra você? Ah, venha depois do Boeing das oito.
As janelas das casas, por exemplo, só tem a armação.
Os vidros foram dispensados em 1958, quando chegou o primeiro jato. Sempre que levantava vôo, o jato quebrava todas as vidraças do bairro. Os espelhos, para não estilha­çarem, já são comprados aos cacos. As antenas de televisão são subterrâneas. Uma vez, um Lockheed calculou mal a descida e aterrissou com 11 antenas de televisão espetadas no bojo. Apesar de todas as precauções dos moradores, às vezes ocorrem certos imprevistos. Não faz muito tempo, um Jumbo passou tão baixo que arrastou as roupas que estavam estendidas num quintal. A dona da casa teve que ir recla­mar no balcão da companhia:
- Boa tarde - disse ela - eu vim buscar minhas roupas que vieram nesse Jumbo que acabou de descer.
- Pois não - falou a recepcionista - qual é o número de sua mala?
- Não. Elas não estavam na mala.
- Não? - voltou a moça. - Estavam onde, então?
- Estavam no varal lá de casa.

Ninguém no bairro usa relógio. Todos se orientam pelos vôos. Na casa da tia do Aristides a família acorda às 6h43m quando passa o Viscount prefixo PP-PTB; toma banho às l0h29m, na passagem do Boeing-747; almoça às 12h43m com o Caravelle. Aristides, que passou uns dias em Congonhas, ficou impressionado com a tarimba da tia. Um dia acordou e perguntou a ela como estava o tempo lá fora.
- Nublado.
- Mas como é que a senhora sabe, se nem olhou? Nem precisa. Tem um YS-11 há meia-hora roncando aqui em cima. Não há teto para descer.
Em Congonhas, entretanto, corre-se o risco de dormir na cama e acordar na poltrona de um DC-10. Uma vizinha da tia de Aristides conta que uma noite bateram na sua casa às quatro horas da manhã. Ela se levantou e quando abriu a porta deu de cara com um Boeing. Mais desagradável, porém, do que ver um Boeing entrando pela sala sem ser chamado são os problemas causados pela poluição sonora. São 300 decolagens ou aterrissagens por dia, o que dá em média um ronco de avião a cada quatro minutos. Como o ruído dos jatos alcança 140 decibéis - o ouvido humano suporta sem danos 85 - conclui-se que os moradores de Congonhas em matéria de barulho são vice-campeões mundiais. Só perdem mesmo para os moradores do Cabo Ken­nedy, onde os foguetes espaciais decolam a 180 décibéis. Segundo um trabalho da UNESCO, o maior consumo de algodão em todo o mundo é no bairro de Congonhas.
No Hospital do Servidor Público, próximo ao aero­porto, a primeira providência para com uma criança ao nascer é botar-lhe algodão nos ouvidos. Depois, então, corta-se o cordão umbilical. Aliás, é curioso como o resul­tado de uma pesquisa recente revelou que 90% dos me­ninos do bairro ao crescerem querem ser soldados. E por que isso?
- Pra poder servir nas baterias anti-aéreas.
- E o pessoal aqui do bairro normalmente dorme bem? - perguntou o entrevistador.
- Dorme.
- Ninguém tem insônia?
- Às vezes. Um ou outro.
- E quando não se consegue dormir - voltou o en­trevistador - que é que vocês fazem? Contam carneirinhos?
- Não senhor. Contar carneirinho é coisa do passado.
- Também acho - concordou o entrevistador. ­Que fazem, então?
- Contamos aviões.
Há, contudo, casos excepcionais, como o do marido da tia do Aristides, um senhor de 92 anos (20 a mais que ela), cujas profundas olheiras impressionaram tanto a Aristides que ele foi perguntar à tia: "Ele está doente?"
- Não. É que não dorme desde 1958.
- E por quê?
- Não conseguiu se adaptar ao barulho dos jatos - explicou ela - estamos aqui desde 1930. O ruído dos aviões a pistão e turboélices ele não teve dificuldades em assimilar, mas com os jatos não conseguiu. Disse que já estava muito velho para se adaptar a um novo ronco.
Quando, porém, soube da chegada do primeiro super­sônico a Congonhas, o velho correu para a janela. E ficou maravilhado diante do silêncio com que o avião pousou... Voltou para dentro de casa aos berros: "Estou salvo, viva, viva, até que enfim inventaram um avião silencioso, agora poderei dormir, viva" - e comemorando abraçava a todos até ser interrompido bruscamente por um vigoroso estrondo que parecia estar rachando o céu. Parou lívido no meio da sala e perguntou:
- Que foi isso?
- O som do avião.
- Mas que avião? - perguntou o velho consultando os céus. - Não tem avião agora.
- Foi do que acabou de descer. Ele não é mais rápido que o som? Então. Com avião supersônico é assim mesmo. O som chega sempre com 10 minutos de atraso.

Mas afinal, perguntarão vocês, por que essa conversa toda sobre o aeroporto de São Paulo, se nós moramos no Rio? Porque parece que agora as coisas vão mudar. Reconhecendo que o ruído dos aviões vem criando graves problemas para os moradores de Congonhas, as autoridades resolveram interditar os vôos das 22 às 6 horas da manhã, para que o pessoal possa dormir mais um pouco.
- Mas por que só em Congonhas? - perguntou um carioca. - E o pessoal da Ilha do Governador?
- Bem - respondeu um funcionário do DAC - o pessoal da Ilha tem que esperar. Afinal, não pode dormir todo mundo ao mesmo tempo.
E eu fico aqui pensando, irmãos, que isso, e muito mais que não contei, acontece exatamente na terra do pai da avia­ção. Como não estaríamos, então, se isso fosse apenas a terra de um primo da aviação?

COMENTÁRIO DO BLOG: ESSA CRÔNICA FOI PUBLICADA NO LIVRO OS MISTÉRIOS DO AQUÉM, LANÇADO EM 1976.
LEMBRAM DO ACIDENTE COM O AVIÃO DA TAM A POUCO TEMPO? PROFÉTICO NÃO?
E O PARÁGRAFO FINAL? NÃO NOS FAZ RECORDAR OS ATRASOS E AS CONFUSÕES NOS AEROPORTOS EM CERTAS ÉPOCAS?
E ALGUNS AINDA ACHAM QUE A LITERATURA NÃO SERVE PARA NADA.

SESSÃO RETRÔ - BEL AMI

A novela Bel Ami foi apresentada pela Rede Tupi de Televisão, no horário das 20 h., entre 26 de junho  06 de novembro de 1972.
Para maiores informações sobre a novela, favor consultar: http://www.teledramaturgia.com.br/belamy.htm.
A reportagem abaixo foi apresentada na revista Cartaz nr. 18 de 06 de julho de 1972.
Após a reportagem, postamos dois vídeos, um com a abertura e outro com um trecho da novela.
Boa diversão!



ABERTURA DA NOVELA

video


TRECHO DE UM CAPÍTULO

video



domingo, 28 de novembro de 2010

UMA ROSA COM AMOR - VERSÃO DA MANU - CENA EXTRA - PARTE 24

No camarim do Credicard Hall...

D:ãhn? ãhn? onde estou?para onde vou?ahh mon DIÊÊ!!!
F: asenhora está bem?
D:ãhn?
F: vc está bem?
D:TÔ..tô sim..(diz ainda com os olhos fechados,d e tanta dor de cabeça)só minha cabeça que tá um pouquinho ...perai! eu conheço essa voz de algum lugar...

Ao olhar pra cima, Dádi se dá conta que esava deitada com a cabeça apoiada no colo de ninguém mais ninguém menos do que :FRANKITO LOPES!!!!

D:ahhh Mon DiÊÊÊ!!! me beslica pra ver se eu tô sonhando...
F:rsrsr
D: olha! o doutor Claudesssss não vai acreditar quando eu disser que...ah meu Deus! É VC MESMO!!! AHHHHHHHHHH eu sou sua maior fã...ahh alguém tira uma foto pelo amor de Deus...(Dadi agarra Frankito como se tivesse vendo o Brad Pitt.)

#################

Enquanto isso...

No quarto dos Geraldy....

Claude começava a desabotoar lentamente sua camisa branca, revelando assim, sua regata, também branca, que mexia com todos os instintos de sua esposa(só dela né meninas?tá bom,sei...rsrsrrs)
Rosa come os morangos cobertos de chocolate, como quem come pipoca durante uma cena super tensa, e importante de um filme,com os olhos vidrados no telão, que nessa situaçón é o fisico do francês,ai calor!!!
Claude ao reparar na expressão de Rosa,dá um leve sorriso de canto de boca....Rosa nem piscava...ao perceber que está sendo observada, Rosa pega a taça de champagne,pra disfarçar,Claude então passeia sua mão sob o corpo da esposa,chegando assim ao ziper de seu vestido, que ele abria delicadamente, em meio a beijos apaixonados em sua nuca,orelha,queixo,boca...

Enquanto sussurrava em seu ouvido:Je T'aime Ma Rosa...
Rosa respondia: come ti amo..Claude....

"Se eu digo: Pare!
Você não repare
No que possa parecer
Se eu digo: Siga!
O que quer que eu diga
Você não vai entender
Mas se eu digo: Venha!
Você traz a lenha
Pro meu fogo acender
Mas se eu digo: Venha!
Você traz a lenha
Pro meu fogo acender..."

Em meio a tanto amor e desejo, eles se entregam a aquela paixão que os consumia....e....  CENSURADOOO!!!Epaaa!!!! tá pensando o que? esse é um blog de familia!!!rsrsrrss)
Eis que depois de tanta volúpia e prazer, amanhece em São Paulo....o dia mais lindo que Claude e Rosa já viram nascer,sim! eles VIRAM nascer....
Claude deixa Rosa dormindo feito um anjo, e desce pra preparar o café da manhã, meio sem jeito ele consegue montar uma linda bandeja,com uma Rosa vermelha pra completar...

C: bom dia mon amour!!!
R: ô meu amor...vc acordou...ai que lindo Claude! não precisava...
C: como nón? é sempre um prazer servir a você,chéri...é privilégio de poucos poder servir a uma mulher tón linda,nón?
R: ai Claude!
C: tón charmosa....
R: não exagera....
C: tón...(com aqueles olhinhos maliciosos) entón....rsrsrrs
R: é...acho bom vc para por ai mesmo...rsrrsrsrs... hum....que delicia!!! a Dádi já chegou foi?
C: claro quiii nón...tá pensando o que?fui eu quem preparou tudo se vc quer saber viu dona Serafina Rosa?
R: sério?
C:oui!!!
R: mas esse meu marido está muito prendado!!! eu não mereço tudo isso....

Claude fica todo bobo...

C: nón é?
R: lindo! charmoso!!! carinhoso!!! bom pai...excelente marido,rsrs...e ainda sabe cozinhar!!!! é muita sorte pra uma mulher só? olha, tenho que ficar de olho mesmo...
C: imagina...
R:se não! tá cheio de chivetonas ai querendo tomar meu lugar....
C: imagina, eu quiii tenho quiiii ficar de olho em certos "cães arrependidos" que ficam rondando por aqui,ãhn? eu tiiiii juro quiiii se eu encontrar com aquele tampinha dos infernos, eu sou capaz diiiiiiiiiiii...
R: não vamos falar sobre isso agora não meu amor,ãhn?

Claude se acalma um pouquinho, e responde com um sorrisinho maroto...

C:hum...entao vamos conversar sobre o que,ãhn? (Diz se aproximando como um gato selvagem, pra arrancar um beijinho de sua linda esposa...)

C: sabia quiiiii vc fica ainda mais linda de manhã?
R: mentiroooooso!!!!
C: é verdade!ãhn? uma deusa....(Diz colocando parte do cabelo de Rosa atrás de sua orelha para que pudesse apreciar a beleza de seu rosto, que sorria sem graça..)
R: ai Claude! deixa de ser exagerado....
C: "jogado ao seus pés, com mil rosas roubadas, exagerado..."(Canta meio desafinado,pois ainda estava meio rouco,havia acabado de acordar)
R: te amo sabia?
C: nón!
R: ahh seu bobo!!!!
C: como vou saber se vc nón me disser,ãhn?
R: te amo, te amo, te amoooooooo!!!(diz enchendo-lhe de beijinhos por todo canto...)

#################################

Enquanto isso no cortiço....

A: Pedrin!!!vem giovani, traz nosso neto pra tomar café da manhã? daqui a pouco tá na hora de ir embora e vcs não comeram nada ainda, só envolvidos ai com esse bendito arcodeon!!!
P: nonna!!! eu tô quase aprendendo,óh!!!
A: tô vendo meu neto, mas vc não vai aprender direito se não tomar seu café!
P:é?
A: ué! sua mãe nunca te falou que saco vazio não pára em pé?
P:a mamma sempre fala isso...pra mim e pro papá...sabe, ele nón come muito...ele tá sempre de...de...regime!!! é isso...sabe, nonna, ele nón quer engordar...
A: doutor Crôdiiis com besteira de não querer engordar é?rrsrrs
P: ele fala que a mamma é linda, perfeita...ele diz que tem que estar a altura da mamma, ainda mais depois que um amigo da mamma tem aparecido, aquele que foi na praia,lembra nonna,acho que o papá nón gosta muito dele nón...(Criança é um bicho inocente né?rsrrsrs)
A: ahh deve ser aquele farabutto do Júlio...
P: fara o que nonna?
A: nada não meu filho, vamo tomar o café da manhã pra ficar fortinho, vamo?

Dona Amália começa a pensar na sorte que Serafina, outrora desiludida com a vida,agora casada com o sonho de consumo de qualquer biscoitinha, que a amava profundamente, e além de um excelente marido,havia se tornado um pai impecável...

###########################

Voltando ao apartamento dos Geraldy...

Algumas horas depois....

Claude tem sede, e resolve descer para tomar água e levar um pouco de água pra Rosa, misteriosamente,aquela manhã era quente em São Paulo,coisa rara,será em São Paulo, ou só pelos arredores daquele quarto? mistério!rsrrsrsrs

Ele desce as escadas cantarolando, feito pinto no lixo...

E se assusta ao ouvir a porta se batendo com força...ao olhar pro lado...Dádi,com uma cara de quem estava voando....

C:Dádi? Dádi vc tá bem?
D:ãhn?
C: aconteceu alguma coisa..?quiiii quiiii vc tem Dádi?(diz num tom mais alto,pois estava ficando preocupado com a falta de reaçón dela)
D:ai doutor Claudesssssssss
C: o que foi?
D:ai doutor Claudessssssssss
C: QUE FOI DÀDI?(diz suuuper assustadinho,coisa linda!)
D: doutor Claudesssssssss
C: o quiii quiiii tá acontecendo?
D:ahh mon DiÊÊE!!
C: pronto! endoidou a mulher!!!!
D: doutor Claudessssss
C: vem! senta Dádi...quer uma aguinha,o quiii quiii te aconteceu mulherrrrr?

Dádi dá um gole na agua, e responde com os olhos marejados...

D: ai doutor Claudessss

Claude esperaa resposta como quem espera um gol da seleção nos ultimos instantes de uma final de copa do mundo....
D: doutor Claudessss....EU FALEI COM O FRANKIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIITO!
C:ãhn?
D: eu falei com ele doutor Claudessss, eu entrei no camarim dele...e o melhor vc não sabe...
C:ãhn?(Claude não consegue esconder sua cara de decepçón...se senta numa cadeira ao lado e apóia o queixo no braço,ou o braço no queixo...rsrs)o quiii quiii aconteceu?
D: eu desmaiei!!!!!!
C: isso é o melhor? nón tô entendendo mais nada!!!
D: eu desmaiei nos braços dele!!!
C: poxa! que empolgaçón....nón me lembro de ter despertado essa euforia toda nas mulheres, tem alguma coisa de errado comigo?(resmunga pra si)

Dádi nem dá ouvidos...

D: ai doutor Claudesssssssss, ele me segurou com aqueles braços,ahhhhh meu Deus!
C:já sei,já sei....ui ui ui ui!!! nón é assim?
D: desse mesmo jeitinho doutor Claudesss, só com um tantinho a mais de charme,sabe?

Claude arregala os olhos com um certo desespero,pensava: como um cara chamado Frankito Lopes consegue ser mais charmoso quiiii eu? é fim de carreira mesmo! será que ser pai me deixou tão derrubado assim,ãhn?

D: como eu ia dizendo doutor Claudessss...aquele homem é o máximo!!!
C:Tô vendo...
D: no próximo show eu te aviso...
C:ahh...por favor!
D: pro senhor ir com dona Rosa...
C: tá mááááluca Dádi?
D: o que que eu fiz?
C: aonde que eu vou levar minha esposa, minha mulherrrrrr pra ficar perto dum maníaco sedutor desses,imagina!!! mais charmoso quiii eu,tá bom...
D: o que que tem?
C: e se ele resolve agarrar Rosa quiii nem fez com vc! tá máááluca é? eu arrebento com a cara desse indio metido a garanhão issiiii sim!!!ãhn! tá pensando o que?

Rosa vai descendo as escadas...

R:Dádi? já chegou?
D:já dona Rosa! eu ia vir só amanhã, ou bem mais tarde mas não me aguentei, e quis vir logo contar as novidades do show...
R:a é? e como foi?
D: foi ótimo dona Rosa o...
C: o nada!!! vc nón tem nada pra fazer nón don a Dadivosa? nón tem nada quiii ficar ai papeando com minha esposa, ainda mais sobre essenho ai....
D:mas hoje é meu dia de folga vissi? tô aqui de visita!!!
R: é verdade meu amor...sim Dádi, conte tudo como foi o show....
D: como eu tava dizendo pro doutor Claudessssssss....
C: eu vou me arrumar...nón sou obrigado a ouvir essa ladainha diiiiiiiiiii novo nón...Rosa vc nón dá ouvidos a essa máááááááluca ai nón viu? ahhhh, e nunca quiii vou ti levar no show desse tarado ai viu?
R:ãhn?
C: é isso mesmo! vou tiiiiii levar num show do Ricky Martin...é mais seguro...
R:rsrsrrsrs...ai Claude....

*************

Toca a campanhia...

D:Dona Amália!!!! Pedrinho? Manu? o que que eles tavam fazendo com a ...ahh já sei...(Dádi dá um sorrisinho pra Claude que está descendo as escadas para ir ao escritório...)
R: a mãe pediu pra ficar com eles essa noite...
D:Sei...sua mãe...doutor Claudessssss mudou de nome agora..(Sussurra)
R: o que vc disse Dádi?
D: nada não! vou servir um cafezinho pra vcs...
R: oi mãe, oi meu filho lindo...

Todos se cumprimentam, e Claude vai logo pegando sua princesinha no colo, Manu!!!!

C: ô minha princesinha...ô meu filhón!!! como foi o passeio?
A: ahhh Pedrin adorou ficar com giovani né meu lindo?
P: o nonno me ensinou a tocar acordeon!!!!
R: sério? que legal meu amor!!!!
A: ahhh que pena, cheguei bem na hora que vcs estava saindo...?
C: nón imagina dona Amália!!!eu tô indo pro escritório mas Rosa vai ficar aqui...
R: mais tarde eu passo lá meu amor...
C: hum...que bom! vou ficar tiiiiii esperando chéri...Dona Amália me desculpe ir saindo assim, mas...
A: imagina doutorrrrrr, fica a vontade,rsrrsrrs ....vou ficar um pouquinho aqui com minha filhota....
C: entón um bom dia pra vcs....

Claude beija Manu,Pedrin, e principalmente Rosa, e sai....

Pedrin vai brincar, enquanto Dádi conta pra dona Amália e Rosa como foi o tão esperado show...e conversam também sobre outros assuntos...

########################

Enquanto isso....

Na construtora....

Claude chega rindo pras paredes,feliz da vida, ao entrar no escritório dá de cara com Frazón,todo emburrado...

C: iiiii quiii cara é essa,ãhn?
F:a Alabá, inventou de ter desejos...
C: normal...
F: às 3:3 da madrugada...
C: isso é tenso...
F: no melhor do sono...
C: é...issiiii realmente é bem tenso...
F:ha...ha...ha...engraçadinho vc hein?
C: essa fala é sempre minha Frazón...quiii quiii é issiii?ãhn?
F: quiii quiii ié issiii, que eu tô caindo de sono....
C: nón reclama nón Frazón, eu já passei por isso duas vezes e tô inteiro nón tô?
F:é mas pra vc, ficar de mau humor é rotina,já acostumei com seu jeito francês...mas hoje é minha vingança, vc vai ter que me aturar!!!
C:Tô diiiiiiiii ótimo humor!!!
F: mas eu vou te infernizar seu francês carrancudo...
C: duvido!!!
F:Sério?
C:Tô falando....
F:ahh é brincadeira viu? como dizia minha vó: "Quando Deus dá a farinha, o diabo vem e rasga o saco!"
C:ãhn?kkkkkkk
F: quando eu tenho a oportunidade de te irritar, vc tá ai, com esse bom humor irritante
C: o "irritante" também é fala minha Frazón, vc tá me imitando diiiiiiii mais hoje, nón tá nón?
F:não importa...olha...olha pra mim!!! aonde mais o Frazãozinho aqui arranjaria essas olheiras enormes!!!tô um monstro....acho que vou querer uma licença paternidade de uns dois anos pra tentar me recuperar....
C: posso até tiiiiii dar essas férias,mas tiiiiiiiii digo uma coisa, ficando em casa vc trabalha mais ainda...
F:Sério?
C:se nón! vai trocar fralda,dar banho....vou tiiiiiiiiiii contar...trocar fraudas é uma ciência....
F:sério mesmo rapaz...
C:Tô tiiiiiiiiiiii falando...
F: tava até pensando em ver se acho umc urso pra isso, que parece ser bem complicado, ainda mais com minha deusa do lado...

Aquele papo de "comadres" de Claude e Frazón é interrompido por Janete que entra pra deixar uns documentos pra Claude assinar, assim que ela sai...

F: meu amigo, antes da minha filha nascer eu já envelheci uns dez anos! imagina quando ela nascer....quando ela crescer e os menininhos dando em cima dela!!! eu vou enlouquecer rapaz!!!
C: nem fala! frazón...vou tiiiiiiiiii contar uma coisa mais vc nón conta pra niguém,ãhn?
F:tá...o que é?
C:Vem cá..(diz baixinho...)
F:ãhn?
C: vem mais....
F: o que foi homem?
C:eu descobri um fio de cabelo branco na minha cabeça...
F: que?
C:sério!
F: onde?
C:aqui,óh!!!(diz apontando pro local) eu nunca pensei quiii esse dia fosse chegarrrr...
F:kkkkkkkkkkkkkk
C:tá rindo de que?ãhn?
F: de vc, preocupado com seus cabelos brancos...
C:ahhhh e vc ai com essas olheiras, nón dá nem pra ver mais sua cara, só essas olheiras de urso panda aí!!!!
F: pelo menos eu não tenho cabelo branco...
C: eu nón TENHO cabelo branco...é só um fiozinho....iiiiiiiiii duvido quiii nón tem nennhum fiozinho ai nesse tanto de cabelo quiii vc tem ai nessa cabeça....deixa eu ver...
F: iiiiiiiiiiiiiii sai pra lá francês...
C:Frazón...vem aqui agora que eu quero ver siiiii vc tem ou nón cabelo branco....

Eles ficam ai naquela guerrinha a manhã inteira...

###########################

Enquanto isso, no apartamento de Júlio, onde Mariana estava hospedada

M: então tá bom querida!!! ele vai adorar a surpresa...vai bem linda viu? bjo amiga!

Mari desliga...

J:Ôhhh que mal lhe pergunte, pra que tanto de mulher vc tá ligando repetindo esse mesmo textinho hein?
M: ahhh mas é curioso!!! daqui a pouco vamos pra construtora,vc vai consolar sua queridinha...
J:consolar a Rosa?
M:é...aquela lá não larga o osso....duvido que ela não vá buscar o maridinho pra almoçar hoje, ela sempre faz isso....pevisivel demais(diz com cara de desdém..)aii detesto gente assim...mas enfim, isso me vai ser útil hoje...vamos?
J: espero que seja bom pra mim também, tô te avisando....não quero me queimar com a Fina
M:ahhh que se queimar que nada! aquela ali é uma burra!!! uma barraqueira suburbana e burra!!ô mulherzinha sem sal,viu?
J:ai...ai...

########################

No apartamento dos Geraldy...

R: ahh mãe...fica mais um pouquinho, vai?
A: não posso minha filha, seu pai deve tá me esperando...tchau! bjo meu filho, tchau Manuzinha, minha florzinha linda...tchau minha filha,tchau Dádi...

***********

D:Dona Rosa
R: oi Dádi.
D:o que a senhora vai querer por almoço...
R:Dàdi,prepara o prato preferido do Claude,Socorro, vc pode arrumar as crianças pra mim? eu vou buscá-lo pra almoçar aqui com a gente,quero tudo bem lindo pra quando meu amor chegar....

###############################

No escritório...

Claude e Frazón continuam naquela guerrinha, quando são novamente interrompidos por Janete

J: doutor Claude, tem uma mulhr querendo falar com o senhor.
C: quem é?
N:sou eu!
C:Nicole?

Janete percebe que eles se conhecem e se retira da sala, Frazón arregala os olhos pois sabe de quem se trata, e estranha muito essa visita inesperada...

N: não estava com saudades de mim mon amour?
RE: de vc?
C:REbeca????????
N:vc conhece essazinha ai Claude?
FE: que essazinha ai...essaszinhassss...quem são essas ai?
C:FErnanda?
F:agora virou bagunça, ai meu Deus! não quero nem ver....

Eis que entram na sala também: Mirtes,Nicole,Claudia,Marcia,Maria,Luiza,etc....

FE: quem são essas Claude?
M: é...quem são essas...

Elas começam a discutir entre si e Claude quer um buraco pra se esconder..Frazón não sabia como ajudar o amigo...

C:FRazón...quiii quiii tá acontecendo...?quiii quiii esse monte diiiii máááluca tão fazendo aqui?ãhn?
F: eu que sei?
C:ahhhh mon Dieu!!!

#################

Enquanto isso...no estacionamento....

Mariana observava juntamente com Julio o carro com Rosa chegar...

Lá mesmo Rosa se encontra com Alabá...

A: oi Rosa!! querida!!!
R: oi Alabá...como vai?acho que tivemos a mesma idéia!rsrsr
A: eu aposto que sim! vamos?
R:Claro! tô louca pra ver meu amor!!!
A: ai que fofura!!!

Elas vão subindo pelo elevador...

Mariana e Júlio obsevam com um sorriso vitorioso...

Continua.....

NOVO VÍDEO DA RAQUEL DO TECLA ROJA

video


PARA MEDITAR - CONTRIBUIÇÃO DE LUÍZA GOMES

video


BARRIGA DE ALUGUEL - PARTE 4 - AUTORA: ANNIE WALKER

No jardim...



Roberta: Posso te fazer um convite?-sussurrou ao ouvido do francês.
Claude: O que quiser.
Roberta: Vai embora, por favor! - disse em suplica não conseguindo se afastar dele enquanto ele delicadamente beijava seu pescoço fazendo ela arrepiar-se toda.
Claude: Entón por que me chamou?- Sussurrou enquanto passava a mão pela coxa da atriz de maneira sutil e firme, que por impulso ela acabou puxando-o pela cintura o pressionando em seu quadril. Sem conseguir respirar. Apenas murmurava, sem conseguir falar direito com aquelas mãos fortes passeando pelo seu corpo, e aquela boca passeando pelo seu pescoço e boca.
Roberta: Porque...você já me provou o que eu queria saber... - Nesse momento percebendo que estava sendo testado, Claude instintivamente se afasta dela, o que fez Roberta respirar aliviada, porque não estava mais conseguindo se controlar perto daquele perfume e das carícias do francês, que também ficou tonto e confuso com a atitude da atriz.
Claude: Você estava me testando?- visivelmente irritado.
Roberta: Sim, claro! - disse tentando se recompor.
Claude: Eu nón gosto nada disso! Posso saber o que a senhora estava me testando, hã?- Disse ainda irritado.
Roberta: A sua fidelidade e caráter!-disse se aproximando e com um olhar desafiador.-Que por sinal, não foi muito surpreendente. É igual a todos os outros!
Claude: Igual aos outros nón! Nunca! EU sou Claude Geraldy, e sou bem diferente, hã?
Roberta: não é não DR. Geraldy. Eu até que pensei que pudesse ser, mas comprovei que realmente você não passa de mais um cafajeste Europeu, tipinho playboy filhinho de papai, não sabe nada da vida. Um moleque!

Com essas palavras Roberta conseguiu tirar Claude totalmente do sério. Ela já ia saindo com um ar triunfante sobre a sua mais nova decepção, quando Claude a puxou pelo braço aproximando os seus rosto quase a beijando novamente.

Claude: Diga agora!Diga! Assim bem de pertinin.- disse se aproximando ainda mais da modelo sensualmente fazendo a modelo derreter feito água ao sentir a mão do francês passar pela sua cintura descendo até as nádegas.- Diga agora que eu sou moleque! O moleque te faz ficar sem ar.
Roberta: Você é um moleque e prepotente! - disse conseguindo se soltar com muito esforço dele. E saindo o mais rápido possível do jardim antes que cometesse uma loucura.

Coutinho vê a discursão de Nara e Erci e decidi intervir, dizendo que Claude havia ido ao banheiro o que Nara não acreditou muito, mas por sorte o francês chega ao mesmo tempo.

Claude: Oi meninas, Nara acho que já podemos ir.
Nara: Que cara é essa Claude, prendeu seus documentos no zíper?
Claude: Hã? Do que você tah falando?
Coutinho: Do banheiro Claude, você não tah vindo do banheiro? -disse Coutinho tentado alertar o amigo.
Claude: Do banheiro? É claro!
Nara: Ué, mon amour, você não sabia que tinha ido ao banheiro? - disse rindo ironicamente.
Claude: Claro que eu sabia Nara! É que eu nón conseguir ir ao toalhete, entón vamos embora, que eu preciso ir ao banheiro!- disse já empurrando-a para fora, o que ela rodou se soltando dos braços dele.
Nara: Como assim Erci? Na glamurossíma casa da sua IRMÃ não tem banheiro para os convidados de uma recepçãozinha?- disse ela ironicamente.
Erci: Claro que ela tem cherry, é o seu namoradinho que é muito tapadinho pra encontrá-lo.
Claude: Vamos Nara! Vamos!- disse Claude ao perceber que Nara ia já voar pra cima de Erci que logo arregalou os olhos pra atitude primata da amiga, e que Coutinho logo se colocou em sua frente para protegê-la da raiva de Nara. Claude levando Nara acabou por cruzar o caminho com Roberta que tentava sair escondida da imprensa.
Nara: Você já não tinha ido embora Roberta?

Roberta se assusta com o casal, e Claude engole seco ao ver Roberta.

Roberta: Perdão eu te conheço?
Nara: Ainda é ignorante! Também, tinha que ser irmã da Erci.
Roberta: Como é que é? -disse Roberta já sem paciência.
Claude: Nara, por favor vamos embora!

Claude e Nara sairam do local deixando Roberta passada com a atitude de Nara. O que ela não conseguiu segurar.

Roberta: ISSO! VOLTA PRO CHIQUEIRO! SUA PORCA SEM EDUCAÇÃO!
Claude: NARA!NARA!- disse Claude tentado segurar Nara que já ia voar pra arrancar os cabelos de Roberta. Enquanto Roberta ria satisfatoriamente da rival.
“Isso vai ter volta Roberta, isso vai ter volta”- pensou Nara enquanto desistia de bater na rival e voltava a acompanhar o namorado.
“Mulheres! São todas loucas!” - pensava Claude.
“Mulherzinha intrigante, não sei como o Claude atura essa sem educação, ela conseguiu me tirar do sério”- pensava Roberta quando é surpreendida por Erci.
Erci: Que barraco é esse, Roberta? Quer chamar a atenção da imprensa?
Roberta: Ah, Erci, vê se não enche também!- diz tentando sair da escada que dava pra saída dos fundos, onde não tinha imprensa.
Erci: Nada disso!-disse segurando a irmã pelo braço.- Você vai me contar direitinho o que aconteceu nesse jardim! - disse olhando nos olhos da irmã.
Roberta: Amanhã, Erci! Hoje eu não estou afim, voltei de viagem e estou muito cansada, tah? Bjux maninha. - disse se despedindo da irmã e indo dormir, deixando a irmã sozinha com os convidados.
Erci: Mas Roberta...Os conv...-não adiantou, Roberta subiu mesmo assim.

Claude deixou Nara em casa, ela tentou convencê-lo a ficar, mas foi Claude que a conveceu que não estava com clima por conta das discussões, muito a contragosto Nara deixou o namorado ir pro sua casa.

Na casa da Roberta, Erci já tinha se despedido de todos os convidados que elogiavam a recepção e a beleza da anfitriã. Enfim, Erci e Coutinho puderam sair dali pra um lugar mais adequado para o que eles realmente queriam fazer.

No quarto de Roberta, ela pensava no que se passara naquela noite, não sabia o que estava acontecendo com ela. Quase que ela se entregara a um homem que nem conhecia, o que tinha Claude que tanto lhe chamava atenção. “Quase! Quase!” Pensou ao se jogar na cama, o que estava acontecendo com ela, será que estava se apaixonando de novo? Mas já? Mal conhecia o rapaz, corrigindo o moleque! Insolente! E traíra! - pensava enquanto olhava o luar pela janela do seu quarto.

No apartamento de Claude, Claude pensava em tudo o que acontecera naquela noite e durante o dia pensou sobre sua vida. Roberta tinha razão, que tipo de vida estava levando? Realmente estava agindo como um moleque sem compromisso, e na verdade era um dos motivos que estava com Nara: ele não gostava realmente dela, ele sabia, tinha atração física, que era muito forte por sinal. Ele ficava louco com Nara ela sabia lhe agradar, mas, ao mesmo tempo, tinha vontade, tinha curiosidade, vontade de ser apaixonar de verdade. Será que um dia ia conseguir? Será que Roberta seria a pessoa? Ele se sentiu diferente quando estava perto dela. Será que era algum sentimento que estava brotando? Não, não podia ser!ou será? Ele adormeceu com seus pensamentos.

No Brasil...

Rosa: Não, não Claude! Claude! Claudeee!...Gritou Rosa acordando do seu pesadelo e acordando Terezinha também.
Terezinha: O que foi, Rosa?
Rosa: O sonho de novo,mas dessa vez foi diferente, era o meu casamento só que era com o tal Claude que eu ia casar. Só que eu não conseguia ver o rosto dele. E ele fugia! Ele fugia! Terezinha - disse Rosa se abandonando no seu choro.
Terezinha: Calma, Rosa, foi só um sonho.
Rosa: E se não for Terezinha e se esse tal de Claude quiser dizer que o Júlio vai me abandonar amanhã, Terezinha? Eu não vou aguentar...eu não vou...- disse não contendo o choro, no que sua irmã foi abraçá-la tentando em vão acalmá-la.

No quarto de Claude.

Claude vê Nara vestida de noiva no altar.


Fonte: http://www.mulherbeleza.com.br/wp-content/uploads/2009/11/vestido-de-noiva-3-grande.jpg

Mas, quando ele chegou ao altar, Nara não era mais Nara, era Roberta, (p.s. Com o mesmo vestido)Claude sorriu pra atriz, e a beijou intensamente. De repente Claude ouve uma voz desconhecida. - Dr. Claude?, quando ele olha pra trás não consegue reconhecer a mulher que estava atrás de si (era Rosa com esse vestido).


Sente sua perna tremer, se aproxima da mulher e sente o seu perfume, era um cheiro de rosas, Claude odiava rosas, ele tinha alergia, mas pela primeira vez, ele apreciara aquele cheiro, que o estava deixando bêbado e fez com que ele mergulhasse na curva daquele pescoço chamativo, de repente num instinto selvagem Claude rasga o vestido da moça a olhando com desejo ardente vendo a sua pele, e sua lingerie
branca, modelando os seus seios tornando-os ainda mais chamativos ele a agarra, a beijando intensamente com um olhar assustado ela tenta fugir dele, mas ele consegue agarrá-la ela já não resistia a ele, e o massageia a nuca, pra depois avançar por seu pescoço, prendendo-o com as pernas.
.

Fonte: http://4.bp.blogspot.com/_CEJ5myps32A/SoVJ_mhCVZI/AAAAAAAAA4Y/gIYw9SLgTe8/s400/Lingerie+noiva+(6).jpg

Sem saber como Claude apenas pronunciava.
-Rosa, Rosa...
-Dr. Crode! Dr. Crode! -dizia Dadi tentando acordar Claude que já estava todo suado.
-Ai! Que susto Dadi! - isso é hora de me acordar?- acordou Claude assustado.
Dadi: Desculpa Dr. Claude, mas o senhor mandou eu te acordar às 8 pro senhor ir pro trabalho.- argumentou a governanta da família Geraldy, bem ela era até a Srªa e o Srº Geraldy sofrerem um grave acidente de carro em que faleceram, agora apenas cuidava do menino Claude que ela viu crescer.
Dadi: Dr. Crode me perdoa a curiosidade mas quem é Rosa?
Claude: Rosa? Eu é que vou saber?
Dadi: Como não ? O senhor tava aí chamando Rosa, Rosa!
Claude: Foi um sonho Dadi! Nem sempre a gente conhece as pessoas com quem sonhamos, hã?
Dadi: Mas ela devia ser porreta de bonita, o senhor acordou todo molhado.- brincou a empregada.
Claude: Nem de longe o Frazón deixa de contaminar os outros, neh D. Dadi? Vocês perdem o amigo, mas nón perdem a piada, hã?

Dadi saiu rindo da irritação do patrão, enquanto ele foi se preparar pro trabalho.

Claude: Rosa, onde se viu? Logo eu que odeio rosas! Atchim...espirrou só de pronunciar a palavra rosa, enquanto resmungava ao ir se arrumar.

Amanhece o dia...

Na casa da Roberta...

Alabá: Bom dia, flor do dia!- diz enquanto abre as janelas do quarto da amiga afim de acordá-la.
Roberta: Ai minha cabeça parece que ela vai estourar!-acordou resmungando a atriz.
Alabá: Você talvez tenha exagerado um pouco na bebida de ontem, e a noite? Foi boa? – disse já se sentando ao lado da amiga.
Roberta: Como foi a noite? A noite foi ótima! Sozinha!
Alabá: Como assim? E o Claude?
Roberta: Que Claude, Alabá? Que amiga dos araques que eu arrumei hein? Você sabendo que eu tinha exagerado na bebida quase que me deixa ir pra cama com um homem que eu nem conheço!
Alabá: Me perdoe querida Roberta, mas BÊBADA vc não estava! Afinal eu me lembro bem de você pedindo pra que eu te ajudasse, ficou louca agora?
Roberta: Louca?- disse colocando a xícara de café trazida pela amiga junto com uma bandeja cheia de petisco para o seu café da manhã.- Louca foi você de deixar eu lá sozinha com aquele homem maravilhoso sabendo que eu não estava de posse do meu juízo.
Alabá: Ah, pára! Me diz que não rolou nada depois que eu despistei aqueles chatos? Nem uma bitoquinha? Ai, me perdoa amiga, mas é que é tão raro você gostar de um homem que eu achei melhor não dá pitaco.
Roberta: Bitoquinha? Bitoquinha nada! Rolou foi um beijão daqueles bem dados, ai Alabazinha que homem viu? Quase que eu me rendo, ainda bem que eu voltei a terra a tempo.
Alabá: Eu não acredito que eu tive aquele trabalho todo pra só rolar uns beijinhos?
Roberta: Alabá, por favor! Eu não podia fazer isso! Vontade não faltou, mas também não é assim neh? Olhou, gostou e pimba!
Alabá: Roberta, nós estamos falando de você se esqueceu? Pra vc olhar já é um sacrificio, pra você gostar já é um suplício, então o pimba vai ser o que? Impossível, neh?
Roberta: Ai, Alabá eu vou te contar viu? Aquele homem despertou alguma coisa em mim, sabe?
Alabá: Amor? Paixão?
Roberta: Não, isso eu sei que não! Você sabe que...
Alabá: Você conhece o amor de perto! Apesar de nunca querer me contar direito essa história, neh?
Roberta: Pois é, mas ele, o Claude, me despertou foi um...um...DESEJO! Essa é a palavra certa. De-se-jo!
Alabá: Bem já é um avanço, neh amiga? Srsrsrs
Roberta: Você ri, neh? – diz jogando um travesseiro na amiga e rindo também.- Mas você tem razão! Já é um começo! Sabe eu acredito que eu tenho que me dar uma chance nova! Talvez eu não consiga voltar a amar como...
Alabá: Como o seu grande e misterioso amor? Pode ser, mas se você deseja o Claude já é um começo pra talvez uma paixão, não acha? Arrisca amiga!

Roberta concordou com a cabeça enquanto ficava pensando no que a amiga acabara de falar e tomava o seu café.

Enquanto isso no escritório...

Mônica: Bom dia Dr. Claude!
Janete: Bom dia Dr.!
Claude: Bom dia, alguem ligou?
Mônica: nón Sr.
Janete: Dr. Claude! A D. Nara está na sua sala.
Claude: Tá é? –disse arqueando a sombracelha como quem diz: só me faltava essa!-Obrigado D. Janete.

Ao ver o patrão entrar na sua sala Janete não se aguentou e comentou com a amiga.
Janete: Mônica? Você viu como o Dr. Claude tava com aquela cara de cão chupando manga?
Mônica: Vi sim, Jane...e querr saberr tomara que ele desconte tudo em cima daquela mulherrzinha irritante!
Janete: Você odeia ela não é?
Mônica: E me falta motivos?
Janete: Você tem razão!
Coutinho: Bom dia, meninas, o Claude está?
Janete: tah sim, mas ele tah um pouco ocupado.- disse sem graça.
Coutinho: Atah entendi! – disse piscando pra secretária.-Mas eu não vim falar com ele, o Dr. Egídio está?
Mônica: Drr. Egídio está viajando e nón disse aonde foi, provavelmente vá demorar.
Janete: Por que é algo urgente? – disse ao ver a cara de desespero do advogado.
Coutinho: não D. Janete obrigada. Ah e se o Claude perguntar por mim eu ainda não cheguei tah?
M e J: Sim Sr.
Mônica: O que está acontecendo com os homens desse escritório, hã?
Janete: É o mistério dos homens da Construtora Gerady Paris. – brinca fazendo Mônica rir com vontade.

No cortiço...

Muita movimentação, flores pra cá, mesas pra lá, haveria uma grande festa mais tarde.

Pepa: D. Joana! D. Joana! E a Fina onde tah?
D. Joana: Foi no salão D. Pepa, eu fiz umas economias e dei este presente de casamento pra ela, tah tão feliz parecendo pinto no lixo!
Pepa: é mesmo, neh? Mas também! Vai casar, neh? As más linguas tavam falando que ela ia encruar de tanto que demorou esse casamento.
Amália: As más linguas? Eu pensei que a senhora só tinha uma, D. Pepa? Ah logo se vê porque dá conta de tanta fofoca!-diz rindo irônica, fazendo D. Joana rir também.
Pepa: D. Amália como a senhora fala isso da minha pessoa? Logo eu que tanto gosto da senhora?-diz chorosa.
Amália: Me poupe D. Pepa das suas desculpas!
Joana: E a Fina? Vai direto pra igreja?
Amália: Vai sim, e é por isso que eu vim aqui pra buscar o vestido dela pra ela se arrumar por lá mesmo, minha filha tah tão radiante D. Joana!
Joana: não é pra menos né D. Amália ela sempre sonhou em se casar!
Sérgio: D. Amália? Como tah a fina?
Amália: Radiante! Você tah bonito Sérgio! Já tah pronto pra festa? Mas ó vai demorar um pouco pra começar.- brinca D. Amália.
Sérgio: Sim e não D. Amália. Na verdade eu to indo pegar meu passaporte, ele por um milagre ficou pronto a tempo.
Joana: Como assim? Você tirou o passaporte hoje?
Sérgio: Não neh mãe! Eu já tinha me precavido pra caso eu passasse no teste e foi o que aconteceu!
D. Amália: Então você vai mesmo pra Paris?
Sérgio: Vou sim D. Amália – sorri alegre, mas sem graça.
D. Amália: Minha Nossa Senhora da Queropita! Isso é muito bom Sérgio!
Joana: é verdade D. Amália, Sérgio é meu orgulho- diz orgulhosa, mas com uma pinta de preocupação, não pela viagem, mas por Roberta, era muito receio que o filho se apaixonasse por ela assim como o pai.
Sérgio: Que cara é essa mãe? Nem parece que tah feliz .
Joana: Nada não, filho. Claro que eu to feliz.

No escritório...

Nara: Bom dia, mon amour- disse já beijando-o.
Claude: Bom dia, cherry. – disse com um alívio e um sorriso no rosto, pois pensava que Nara queria matá-lo pela noite anterior.
Nara: Mon amour, eu vim aqui pra você cumprir a promessa que me fez .
Claude: Promessa?
Nara: É Claude de se despedir de mim, se esqueceu que eu vou viajar mais tarde? E eu não vou sem te deixar um gostinho de – dessa vez ela susurrou no ouvido do francês. – quero mais!
Claude: Hum... estou adorando tudo isso, hã?- disse ao ver Nara cruzar e descruzar as pernas na sua cadeira da qual ela já estava sentada.
Nara: Então, você vai fazer um passeio comigo agora ou vai abraçar e beijar esses papéis? – disse já passando o pé pela perna do francês, subindo nela delicadamente até ...( nón preciso dizer)
Claude: O que você não me pede sorrindo que eu nón te dou gemendo.- disse puxando a noiva pelo braço e beijando-a avassaladoramente. Ainda se beijando, eles vão pegando suas respectivas bolsas, pra sairem. Só se largam na porta. Quando Claude abre a porta, Nara tenta se recompor, abaixa o vestido, ajeita o cabelo, mas a boca não negava de tão vermelha que estava, mesmo ela limpando o batom borrado.

Claude: D. Mônica e D. Janete eu vou dar uma saida, se alguma coisa acontecer de urgente...- ficou pensativo porque não tinha ninguem para substitui-lo naquele momento, olhou pra Nara que estava com o vestido favorito do francês.



Ele mordeu os lábios e decidiu. - Liga pro Frazón.
Mônica: Mas ele tah no brazil!
Nara: ô seu projeto de gente! Liga pro Frazão, tah surda?
Claude: Nara, vamos antes que eu desista, hã? D. Mônica, Janete já sabem!

Nara saiu novamente vitoriosa do escritório do namorado, fazendo Mônica bufar.

Janete: Esses homens! Não aguentam ver uma mulher oferecida.
Mônica: Dr. Claude é tón lindo, tón burrinho! Pensa com a cabeça de baixo! Ainda bem que meu Afrânio é inteligente!
Janete: Ai miga, gamou mesmo nesse seu namorado virtual, hein?

Mônica dá um suspiro apaixonado, tirando risos da amiga.

Anoitece...

Igreja lotada, linda!



Família do noivo de um lado, família da noiva do outro. O noivo? Nervoso? Sim,muito. Parecia que algo lhe pertubava os pensamentos. Como se algo colocasse em dúvida o que iria fazer agora. Indeciso? Muito!

Fonte: http://3.bp.blogspot.com/_fwsRZPc2dkg/SwtGb9cybRI/AAAAAAAAA8I/Ayn-BgyW3lY/s1600/ator_mateus_solano_acredita_na_fidelidade_blog.jpg

Terezinha: Júlio, faça minha irmã muito feliz, viu?- as palavras da criança soaram como uma pedra na consciência do noivo, deixando-o ainda mais nervoso.

De repente... Todo mundo se cala...até d. Pepa...Milagre! E começa aquela música, que faz qualquer noivo morrer do coração, e ela o fez com Júlio. Estava quase chorando quando viu Rosa entrar na igreja, linda!

Arrancava inveja das moças, e suspiros dos rapazes. Ela era linda e consciente da sua beleza. Sorria! Radiante! Deixando o noivo cada vez mais nervoso. Seu Geovane a trazia pelo braço, orgulhoso, estava realizando não só o sonho da filha, mas o da família, casando-a com um homem de bem. Bem era o que o velho achava. E esses pensamentos deixavam Júlio ainda mais apreensivo. Enfim a noiva chega ao altar, de perto ainda estava mais bela.

S. Geovane: Cuide bem da minha banbina, hã? –disse entregando sua primogênita ao genro com uma lágrima nos olhos.

A cerimônia corria bela, nos conformes. Como o script. De repente a grande pergunta:

Padre: Serafina Rosa Petroni, aceita Júlio Batista Lopes como seu legítimo esposo, promete respeitá-lo na saúde e na doença até que a morte os separe?
Rosa: Sim – disse com um sorriso e uma lágrima.
Padre: Júlio Batista Lopes, aceita Serafina Rosa Petroni como sua legítima esposa, promete respeitá-la na saúde e na doença até que a morte os separe?

...E um doloroso silêncio soou na igreja todos olhavam para o noivo apreensivos...

De repente uma mulher aparece na porta da Igreja, chorava em um canto perto da entrada, disfarçando, evitando ser vista pelos convidados. Júlio a percebeu, e quando ele a olhou, as lágrimas escorreram sem medo do rosto da jovem bela e de aparência muito triste. Rosa percebeu o desviar do olhar do noivo, e já apreensiva olha pra entrada. Ela o encara desacreditada.

Júlio: Desculpa Fina eu não posso! – disse dando um beijo em sua testa, e em seguida correndo ao encontro da mulher e fugindo com ela, deixando Rosa, sozinha, abandonada incrédula no altar, sem conseguir se virar e encarar a igreja lotada.
Rosa: Não pode ser! Por quê? Comigo? – murmurou ainda na mesma posição em que foi deixada pelo noivo. Ela se virou devagar, torturosamente. Ela olhou a igreja lotada, de olhos arregalados fixos nela, e de repente não viu nada.
D.Amália: Rosa! – disse indo socorrer a filha que desmaiara no altar, sendo ajudada pela amiga Joana e por Pimpinoni e Sérgio. – Minha Rosa! Minha Fina! Acorda Filha!
Geovane: Esse farabuto vai pagar pelo o que fez com a minha Serafina! Ah se vai! – Gritou S. Geovane com toda a raiva. Ele que até agora tinha ficado tão paralisado quanto a filha.

No meio do Povo...

Pepa: D. Antonieta o que foi isso? Minha Nossa Senhora da Queropita!
Antonieta: Pepa, isso vai dá linha pra tricô!

No outro lado dos bancos...

Milton: Antoninho, você viu isso?
Antôninho: Ver eu vi. Mas to tentando acreditar!
Milton: Mas que idiota do Júlio, um mulhrão desses, ah se eu não já estivesse de olho na irmã.
Antôninho: É verdade! Mulherão mesmo! Toma tento garoto, vc é um moleque. A Serafina tem idade pra um homem mais maduro, assim como eu. – diz com um sorriso conquistador.
Batateira: Vocês dois, dá pra parar vamos sair daqui antes que o teto dessa igreja caia na cabeça de um, porque com o gênio dessa aí quando ela acordar vai querer comer fígado crú ao molho das nossas tripas. Vamos!
Milton: Ah não, mãe, e se ela ficar com tanta raiva a ponto de rasgar o vestido? Eu não quero perder.
A e B: Milton!
Milton: Tah, eu já entendi, mas deixa eu pelo menos me despedir da Terezinha.
Batateira: Vamos agora!

E os irmãos foram, de cabeça baixa, saindo de fininho da igreja.

Em um outro canto da Igreja...

Afrânio: Eu vou pegar esse farabuto, cafajeste, que fez isso com a Fina! - disse possesso.
Sérgio: Você não vai a canto nenhum! Fica aqui ! Nesse momento a Fina precisa de todo mundo junto dela.

video

Rosa abre os olhos aos poucos, ainda vendo tudo muito confuso, achava ter sonhado. Perceberá que não quando via os olhares de preocupação. A igreja ainda mantinha os olhos fixos em cada movimento seu. Ela com dificuldade se levanta.
Amália: Minha filha, você tah bem?

Rosa não acreditou na pergunta que sua mãe lhe fazia, olhou pra igreja ainda lotada sem poder conter as suas lágrimas, e então gritou:

Rosa: O QUE VOCÊS ESTÃO OLHANDO? O SHOW JÁ ACABOU! PODEM IR EMBORA! ACABOU! ACABOU! – gritou se entregando ao choro e, de repente, começou a rasgar a calda e a saia do vestido com toda a sua fúria. – A-CA-BOU! VÃO EMBORAA!
Amália: Rosa! Minha filha!-diz Amália sem saber o que fazer, enquanto os convidados saíam assustados da cerimônia.
Pepa: Credo! Que garota mais sem educação! Vamos, D. Antonieta, vamos!
Joana: Deixa ela, D. Amália, ela precisa disso.
Raquel: Eu sabia! Meu primo não era tão burrinho a ponto de se casar com uma corticeira como vc! – disse a filha de Nara, que era prima do noivo, por trás de Rosa que se virou delicadamente.
Rosa: Se você tem amor a sua vida, sai daqui antes que você não a tenha mais! – disse devagar.
Laura:



Vamos Raquelzinha! Vamos! – diz, se virando pra Rosa – não posso dizer que estou triste pela atitude do meu filho, não sou hipócrita! Mas mesmo assim sinto muito! –disse sem conseguir encará-la.
Raquel: Vamos, tia!

E sairam da igreja.