sábado, 30 de novembro de 2013

PARA MEDITAR



SESSÃO FOTONOVELA - AMAR É COMPREENDER - PRIMEIRA PARTE

A fotonovela que reproduzimos abaixo pertence à revista Amiga nr. 1 de 26 de maio de 1970.
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa leitura!
























CONTINUA

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

SESSÃO CAPAS E PÔSTERES

A capa que reproduzimos abaixo pertence à revista Amiga nr. 1 de 26 de maio de 1970.
Já o pôster foi publicado na revista Amiga TV Tudo – Especial Álbum de Ouro de agosto de 1975.
Boa diversão!



SESSÃO FOTO QUIZ

A foto da semana passada pertence ao ator Paulo Goulart.
Agora, tentem descobrir quem é a garotinha da foto.
Eis algumas dicas:
1) Essa famosa atriz nasceu na cidade de São Paulo no ano de 1947.
2) Estreou em telenovelas em A Outra Face de Anita, na TV Excelsior, no ano de 1964.
3) Participou de novelas como Sangue do Meu Sangue, na TV Excelsior; O Primeiro Amor e Corrida do Ouro, na Rede Globo.
Boa diversão!


quinta-feira, 28 de novembro de 2013

SESSÃO LEITURA - INFÂNCIA - HELENA KOLODY

A poesia que reproduzimos abaixo é da autoria de Helena Kolody.
Para maiores informações sobre a autora, favor acessar: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=456.
Boa leitura!

Infância

Aquelas tardes de Três Barras,
Plenas de sol e de cigarras!

Quando eu ficava horas perdidas
Olhando a faina das formigas
Que iam e vinham pelos carreiros,
No áspero tronco dos pessegueiros.

A chuva-de-ouro
Era um tesouro,
Quando floria.
De áureas abelhas
Toda zumbia.
Alfombra flava
O chão cobria...

O cão travesso, de nome eslavo,
Era um amigo, quase um escravo.

Merenda agreste:
Leite crioulo,
Pão feito em casa,
Com mel dourado,
Cheirando a favo.

Ao lusco-fusco, quanta alegria!
A meninada toda acorria
Para cantar, no imenso terreiro:
“Mais bom dia, Vossa Senhoria”...
“Bom barqueiro! Bom barqueiro...”
Soava a canção pelo povoado inteiro
E a própria lua cirandava e ria.

Se a tarde de domingo era tranquila,
Saía-se a flanar, em pleno sol,
No campo, recendente a camomila.
Alegria de correr até cair,
Rolar na relva como potro novo
E quase sufocar, de tanto rir!

No riacho claro, às segundas-feiras,
Batiam roupas as lavadeiras.
Também a gente lavava trapos
Nas pedras lisas, nas corredeiras;
Catava limo, topava sapos
(Ai, ai, que susto! Virgem Maria!)

Do tempo, só se sabia
Que no ano sempre existia
O bom tempo das laranjas
E o doce tempo dos figos...

Longínqua infância... Três Barras
Plena de sol e cigarras!

SESSÃO ABERTURA DE NOVELA - SABOR DE MEL

A novela Sabor de Mel foi apresentada pela Rede Bandeirantes no horário das 20h de 4 de abril a 22 de julho de 1983.
O tema musical de abertura era Tantas Palavras, interpretado por Chico Buarque.
Para maiores informações sobre a novela, favor acessar: www.teledramaturgia.com.br/tele/sabormel.asp.
Boa diversão!

video


LETRA

TANTAS PALAVRAS

Tantas palavras
Que eu conhecia
Só por ouvir falar, falar
Tantas palavras
Que ela gostava
E repetia
Só por gostar

Não tinham tradução
Mas combinavam bem
Toda sessão ela virava uma atriz
``Give me a kiss, darling''
``Play it again''

Trocamos confissões, sons
No cinema, dublando as paixões
Movendo as bocas
Com palavras ocas
Ou fora de si
Minha boca
Sem que eu compreendesse
Falou c'est fini
C'est fini

Tantas palavras
Que eu conhecia
E já não falo mais, jamais
Quantas palavras
Que ela adorava
Saíram de cartaz

Nós aprendemos
Palavras duras
Como dizer perdi, perdi
Palavras tontas
Nossas palavras
Quem falou não está mais aqui


quarta-feira, 27 de novembro de 2013

SESSÃO SAUDADE - RENATO RUSSO

Ele morreu jovem, aos 36 anos, mas deixou uma obra inesquecível.
O homenageado dessa semana é o cantor Renato Russo.
Russo deixou-nos belas letras e interpretações e uma grande saudade em toda uma geração.
Infelizmente, a tristeza calou sua voz, mas não apagou sua grande obra.
Para saber mais sobre ele, favor acessar: http://www.e-biografias.net/renato_russo/.
Obrigado por nos deixar tantas coisas belas!
Descanse em paz!
Com o objetivo de homenageá-lo, reproduzimos abaixo uma das mais bonitas canções do Legião, Perfeição.

video


LETRA

PERFEIÇÃO

Vamos celebrar
A estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja
De assassinos
Covardes, estupradores
E ladrões

Vamos celebrar
A estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso estado que não é nação

Celebrar a juventude sem escolas
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião

Vamos celebrar Eros e Thanatos
Persephone e Hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade

Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta
De hospitais

Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras
E sequestros

Nosso castelo
De cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda a hipocrisia
E toda a afetação
Todo roubo e toda indiferença
Vamos celebrar epidemias
É a festa da torcida campeã

Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar o coração

Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado
De absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal
Vamos cantar juntos
O hino nacional
A lágrima é verdadeira
Vamos celebrar nossa saudade
Comemorar a nossa solidão

Vamos festejar a inveja
A intolerância
A incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente
Que trabalhou honestamente
A vida inteira
E agora não tem mais
Direito a nada

Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta de bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo isto
Com festa, velório e caixão
Tá tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou
Essa canção

Venha!
Meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão

Venha!
O amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça
Venha!
Que o que vem é Perfeição!...

Fonte: http://letras.mus.br/legiao-urbana/46967/

SESSÃO HUMOR

Um guarda rodoviário manda parar um carro que estava em baixíssima velocidade em uma cidade. Quando se aproxima, nota que dentro dele há quatro velhinhas. Com toda delicadeza, diz para a motorista:
— Minha senhora, me desculpe, mas a senhora não pode dirigir tão devagar em uma estrada como esta.
— Mas é a velocidade limite, seu guarda. Estava na placa lá atrás: BR-40.
— A placa era o número da estrada, minha senhora!
Então, o guarda percebe que as outras passageiras estão com os olhos esbugalhados. Preocupado, ele pergunta:
— E suas amigas, o que é que elas têm? Estão passando bem?
— Ah, seu guarda! É que eu acabei de sair da BR-260!

Fonte: http://www.piadas.com.br/blogs/brunabianca/velhinha-limite-velocidade.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

WEBNOVELA - LAÇOS - CAPÍTULO 23 - PRIMEIRA PARTE - AUTORA: JULIANA SOUSA

Pedimos desculpas aos que acompanham essa história, pois, por falha nossa, deixamos de publicá-la ontem (segunda), como é costumeiro.
Para não deixá-los sem o capítulo, publicamos, excepcionalmente, hoje.
Na próxima semana, voltaremos ao normal.
Obrigado pela compreensão e boa leitura!

Capítulo 23 – Revelação

Gabriele se aproximou rapidamente de Viviane.
— Você não pode fazer isso! – disse ela nervosa.
— Por que não?! – disse Vivi irritada. – Eu vou abrir esse envelope e vou mostrar a todos quem elas são de verdade. Elas vão saber que com a família Alcântara e com meu avô ninguém mexe!
— Não faça isso! – disse Gabriele. – Pare com essa brincadeira. Você quer ser ridicularizada na frente de todos?
— Do que está falando? Você não vai me impedir. – disse, prestes a rasgar o envelope.
De repente, Gabriele tirou o envelope das mãos de Viviane.
— Você vem comigo. – disse, pegando-a pelo braço.
O Dr. Otávio parecia não ter qualquer reação. De repente, olhou para todos.
— Continuem a festa. Não se preocupem.
— É verdade. – disse Camila se interpondo. – Vocês todos devem conhecer o gênio da Viviane, não é? Continuem. Em poucos minutos, ela vai explicar que tudo não passou de uma brincadeira.
Dr. Otávio saiu e ao passar pelas gêmeas disse:
— Venham vocês duas também.
Gabriele, Viviane, Dr. Otávio e as gêmeas se dirigiram para o escritório do Dr. Otávio.
Enquanto todos tentavam voltar ao que estavam fazendo, Camila se aproximou do marido e sussurrou-lhe.
— Não foi como eu imaginei, mas acho que o principal objetivo foi atingido. Depois, os jornalistas presentes vão querer saber mais sobre essa história e o Dr. Otávio não vai poder negar.
— Bom trabalho. – disse Otávio Jr. sorrindo.
Verônica olhava preocupada em direção ao escritório do Dr. Otávio.
— Eu sabia que Viviane ia fazer alguma besteira! – disse para os dois que estavam ao seu lado.
— Viviane agora extrapolou. – comentou Fabrício. – Como ela poderia fazer isso na frente de todo mundo?
— Bem... – disse Gabriel. – Pelo menos, ela é corajosa.
Verônica olhou surpresa para Gabriel.
— Ah, por favor, Gabriel, não me diga que apóia Viviane nessa maluquice.
— De jeito nenhum. Só estou dizendo que Viviane pode ter feito algo realmente ruim, mas pareceu estar com a melhor das intenções.
Verônica suspirou preocupada.
— De boas intenções o caminho do inferno está cheio, como dizem por aí. Espero que minha amiga fique bem. Acho que o Dr. Otávio não vai pegar leve com ela.
— O que ele poderia fazer? Ele é avô dela, o máximo que vai fazer é repreendê-la.
— Mesmo assim... Já ouvi dizer que o Dr. Otávio é muito calmo, mas é melhor nunca encontrá-lo irritado.
 ***
Logo quando Gabriele entrou no escritório com Viviane, Otávio entrou junto com as gêmeas.
— O que a você pensa que está fazendo, Viviane? – perguntou Gabriele assim que chegou com a filha.
— O que vocês estão fazendo? Eu ia desmascarar essas duas na frente de todo mundo. Vocês estão sendo enganados! Elas são falsas! Elas planejaram tudo com o pai delas e querem se aproveitar do vovô!
— Viviane! – Dr. Otávio disse em tom alto.
Viviane olhou para o avô um tanto confusa.
— Vovô, por que está se irritando comigo? É com elas que o senhor tem que gritar! Elas são as erradas aqui!
— Com que tipo de prova você sustenta essa acusação? – perguntou Dr. Otávio sério.
— Com essa! – disse Viviane, tirando o envelope das mãos da mãe.
Viviane se afastou de Gabriele para que esta não a impedisse de abrir o envelope. Rasgou o envelope na frente dos outros e leu. Seus olhos brilharam quando olharam para o seu avô.
— Eu não disse? Esse exame prova o que estou dizendo! Aqui está a prova de que nós não temos qualquer laço sanguíneo! – e apontando para as gêmeas – Essas duas não são filhas do meu pai!
Dr. Otávio olhou para Gabriele que desviou o olhar. Pareceu um pouco pensativo, foi até sua escrivaninha, pegou um envelope parecido com o que Viviane tinha em suas mãos e entregou a sua neta.
— Se gosta tanto de exames, então, leia esse também. Esse é um exame feito com amostras de DNA minha e delas.
Viviane pegou o envelope, tirou os papéis de dentro dele e leu em silêncio. Ao olhar para o avô parecia ainda mais confusa.
— O que isso quer dizer? Esse exame só pode ter sido adulterado! Tenho certeza que elas e...
— Elas e o pai delas também armaram isso? – perguntou Dr. Otávio. – Não, Viviane, esse tipo de coisa só acontece na ficção, não na vida real.
— Mas é impossível! Como pode? Como elas podem ser netas do senhor, se o exame que fiz com meu DNA deu incompatível.
Dr. Otávio olhou para Gabriele.
— Talvez a resposta para isso esteja com sua mãe.
Viviane olhou para a mãe, que tentou não olhá-la nos olhos.
— O que está acontecendo? Por que a minha mãe teria a resposta? Por quê...
De repente, Viviane pareceu entender o que o avô queria dizer.
— Não é possível... – disse em choque.
De repente, Mariana e Emanuela viram Viviane perder as forças enquanto caía no chão com os papéis ainda na mão.
— Não é possível... – disse com os olhos lacrimejados. – Me diga que é mentira. – disse olhando para a mãe. – Me diga que o que estou pensando é mentira! Me diga que o Jorge é meu pai. Por favor, me diga.
Gabriele com os olhos um pouco lacrimejados, olhou para filha.
— Me perdoe... Filha, eu... Eu...
— Cale a boca! – gritou Viviane aos prantos, levantando-se em seguida. – Não quero ouvir mais nada de você! Não quero ouvir suas explicações!
Gabriele se aproximou de Viviane, tentando tocá-la.
— Filha...
— Não me toque! – gritou ela. – Não quero que suas mãos imundas me toquem! Eu tenho nojo de você! Eu tenho nojo de mim por ter nascido de você! – disse, se dirigindo para a porta.
Gabriele rapidamente foi em direção à filha e pegou-a pelo braço, tentando impedi-la.
— Viviane, aonde você vai?
Viviane rapidamente se soltou da mãe.
— Vou para um lugar onde não tenha que ficar em um mesmo ambiente que você. – disse abrindo a porta e saindo.
Gabriele saiu logo depois dela.
***
Viviane passou correndo pela sala indo até a porta de saída, chamando a atenção de algumas pessoas. Gabriele seguiu logo atrás. Fabrício, Gabriel e Verônica também seguiram as duas. Do lado de fora, Viviane acionou a chave do carro que tinha ganhado do tio-avô e foi em direção a ele.
— Viviane! – disse Gabriele, pegando-a pelo braço.
Viviane soltou-a com violência.
— Qual parte do não me toque a senhora não entendeu!
— Para onde vai? Você nem sequer sabe andar de carro direito!
— Não é da sua maldita conta! – disse ela, abrindo a porta do carro.
Gabriel correu a tempo de impedir Viviane de entrar no carro.
— Ouça sua mãe, Viviane. Você acabou de aprender a conduzir um carro. E no estado em que está...
— Você nem sequer sabe o que está acontecendo! Por que não se mete na sua vida?
Viviane se preparava para entrar no carro novamente, quando Gabriel a segurou pelo braço.
— Você sabe que tenho mais força que você. Se eu quiser realmente posso te impedir de sair. Mas vamos fazer o seguinte, se quer tanto sair daqui, eu te levo aonde você quer ir.
Viviane estava irritada.
— Está bem. – e olhando em direção a Gabriele. – Contanto que vá para qualquer lugar onde essa mulher não esteja. – disse, entrando no carro pela porta do passageiro.
Gabriel acenou levemente com a cabeça para Gabriele na intenção de dizer para que não se preocupasse. Assim que os dois saíram, Gabriele virou-se para Fabrício e Verônica que observaram toda a cena.
— Se vocês não se incomodam, preciso dizer aos convidados que a festa acabou. – disse saindo.
Verônica olhou para o irmão.
— Acho que a coisa ficou feia. Viviane nem sequer me chamou.
— Está com ciúmes agora? – disse Fabrício rindo.
— Isso são horas de você fazer piada? Estou falando sério! – disse preocupada. – Alguma coisa aconteceu com a Viviane. Algo realmente sério. Nunca tinha visto a Vivi naquele estado. – e olhando para Fabrício. – Você vai me ajudar a descobrir.
— Eu?
— Sim, afinal, sua namorada deve saber de alguma coisa.
***
Otávio olhou para as gêmeas um pouco envergonhado.
— Me desculpem por terem que passar por esse tipo de constrangimento. Acredito que vocês devem estar bastantes surpresas, não é? Afinal, vocês descobriram a verdade de uma forma um tanto repentina.
Mariana e Emanuela se olharam. Era como se uma perguntasse para a outra quem iria falar a verdade.
— Sei que devem ter muitas perguntas agora. E estou disposto a...
De repente, Dr. Otávio pareceu passar mal. Uma pressão repentina veio ao peito que o fez tontear e sentar rapidamente em uma cadeira.
— Dr. Otávio, você está se sentindo bem? – perguntou Emanuela preocupada. E olhando para a irmã. – Mariana, corra lá e chame o Dr. Fabiano, rápido!
Mariana correu para a sala de festas, procurando Fabiano. Logo em seguida, voltou com ele.
— O que está acontecendo? – perguntou ao chegar.
— Eu não sei! – responder Emanuela. – Ele de repente se sentiu mal.
— Isso pode ter a ver com o que ele passou hoje. – disse, enquanto tirava a pressão do pai pelo pulso e verificava os sinais vitais. – Emanuela, chame uma ambulância rápido!
De repente, Dr. Tarcísio entrou.
— Eu sabia que aconteceria isso! – disse ele.
— Do que está falando? – perguntou Fabiano confuso.
— Dr. Otávio não contou para ninguém, mas ele precisa fazer uma cirurgia rapidamente. – correu para a escrivaninha e pegou um frasco de remédio, entregando ao Dr. Fabiano. – Dê isso a ele, talvez melhore. De qualquer forma, precisamos levá-lo logo ao hospital.
— Eu acabei de ligar para a ambulância. – disse Emanuela. – Eles estão vindo.

SESSÃO REMAKE MUSICAL - PIGMALIÃO 70 - EVINHA

A música Pigmalião 70, que teve como um dos intérpretes o conjunto Umas e Outras, é apresentada no vídeo abaixo pela cantora Evinha.
Boa diversão!

video

SESSÃO TÚNEL DO TEMPO MUSICAL - PIGMALIÃO 70 - UMAS E OUTRAS

A música Pigmalião 70, interpretada pelo conjunto Umas e Outras, fez parte da trilha sonora da novela de mesmo título apresentada pela Rede Globo no horário das 19h de 2 de março a 24 de outubro de 1970.
Para maiores informações sobre a novela, favor consultar: www.teledramaturgia.com.br/tele/pigmaliao.asp.
Boa diversão!

video

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

SESSÃO RETRÔ - VARIEDADES - ESPECIAL JARDEL FILHO

A reportagem que reproduzimos abaixo se encontra na revista Amiga – Extra – A Morte de Jardel Filho, que foi publicada no ano de 1983.
Não percam nas próximas semanas,  a continuação do relato da vida e obra desse maravilhoso ator!
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa leitura!



SESSÃO RETRÔ - NOVELAS - O SEMIDEUS - SEGUNDA PARTE

Estamos publicando uma série de matérias sobre a novela O Semideus, apresentada pela Rede Globo no horário das 20h de 22 de agosto de 1973 a 7 de maio de 1974. Elas foram publicadas no Álbum de O Semideus – Edição Especial de Amiga de 07 de maio de 1974.
Para saber mais sobre essa novela, favor consultar: www.teledramaturgia.com.br/tele/semideus.asp
Na semana que vem tem mais.
Acompanhem!
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa leitura e um abraço ao amigo Césio Vital Gaudereto que cobrou essa matéria!



sábado, 23 de novembro de 2013

PARA MEDITAR


SESSÃO FOTONOVELA - A ARTE DO CRIME

A fotonovela que reproduzimos abaixo foi publicada na revista Amiga TV Tudo nr. 298 de 04 de fevereiro de 1976.
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa leitura!