quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

SESSÃO SAUDADE - DOLORES DURAN

A homenageada de hoje é a cantora e compositora Dolores Duran, que, infelizmente, faleceu ainda jovem, aos vinte e nove anos de idade.
Isso, porém, não impediu que deixasse uma obra maravilhosa, que, sem dúvida, enriqueceu e muito nossa música popular.
Obrigado, Dolores Duran, por sua contribuição genial para o cancioneiro tupiniquim!
Descanse em paz!
Para saber mais sobre essa artista, favor consultar: http://www.dicionariompb.com.br/dolores-duran/biografia.
Com o objetivo de homenageá-la, reproduzimos abaixo seu grande sucesso: A Noite do Meu Bem.

video


LETRA

A NOITE DO MEU BEM

Hoje eu quero a rosa mais linda que houver
E a primeira estrela que vier
Para enfeitar a noite do meu bem

Hoje eu quero paz de criança dormindo
E abandono de flores se abrindo
Para enfeitar a noite do meu bem

Quero a alegria de um barco voltando
Quero ternura de irmãos se encontrando
Para enfeitar a noite do meu bem

Ah, eu quero o amor, o amor mais profundo
Eu quero toda beleza do mundo
Para enfeitar a noite do meu bem

Quero a alegria de um barco voltando
Quero ternura de mãos se encontrando
Para enfeitar a noite do meu bem

Ah, como este bem demorou a chegar
Eu já nem sei se terei no olhar
Toda pureza (ternura) que eu quero lhe dar

Fonte: http://letras.mus.br/dolores-duran/396855/

SESSÃO HUMOR

Um bêbado foi a Igreja, já tomado pela cachaça e pediu ao padre uma oração. O padre disse:
- Vá com Deus, filho, Santo Antônio lhe acompanhe, Santa Luzia, São Pedro, São Benedito e Nossa Senhora Aparecida.
O bêbado pegou a bicicleta e saiu, mas poucas pedaladas depois, ele toma um enorme tombo.
- Eu sabia que esse tanto de gente na garupa não ia dar certo!

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O HOMEM QUE DEVE MORRER - CAPÍTULO 103 - TONI FIGUEIRA


Novela de Janete Clair

Adaptação de Toni Figueira

CAPÍTULO 103

Participam deste capítulo

Cyro  -  Tarcísio Meira
Prof. Valdez  -  Ênio Santos
Ricardo  -  Edney Giovenazzi
Naná  - Mary Daniel
Baby  -  Cláudio Cavalcanti
Inês  -  Betty Faria
Cesário  -  Carlos Eduardo Dolabella
Coice de Mula  -  Dary Reis
Otto  -  Jardel Filho
Catarina  -  Lídia Mattos
Lia  -  Arlete Sales
Paulus  -  Emiliano Queiroz


CENA 1  -  CASA DE DONA BÁRBARA  -  SALA  -  INTERIOR  -  DIA

O PROFESSOR VALDEZ AJEITOU OS ÓCULOS E SE CONCENTROU NA NOTÍCIA QUE OCUPAVA TRÊS COLUNAS DO JORNAL.

PROF. VALDEZ  -  (leu em voz alta) “Esposa de eminente figura de nossa sociedade aparece após muitos anos de ausência. Esposa legítima do Comendador Augusto Liberato vai reclamar na Justiça direitos sobre a fortuna Liberato.” Mas... o que é isso?

RICARDO  -  Um escândalo atingindo Baby. Escândalo que poderá ter sérias consequências.

PROF. VALDEZ  -  São declarações do prefeito!

RICARDO  -  Exato. Declarações de Otto Muller.

PROF. VALDEZ  -   Elisa Liberato ou Naná, do cabaré de Porto Azul é a mãe verdadeira de Baby Liberato! Mas onde se viu? Onde se viu coisa assim?! Isto vai ser um choque para o Baby!

CORTA PARA:

CENA 2  -  MANSÃO DE OTTO MULLER  -  SALA  -  INTERIOR  -  DIA

NA MANSÃO DOS MULLER, OTTO SORRIA, AO LADO DA MÃE, DE PAULUS E DE LIA.

OTTO  -  É o que devia ter sido feito há muito tempo. Meu beijo, mamãe... Tou bonito, hoje?

CATARINA  -  Otto, você está certo de que esse escândalo vai ajudá-lo? Afinal de contas... nós também podemos ser atingidos...

OTTO  -  Por que? Não podemos ser culpados pelos erros de titia Elisa!

CATARINA  -  Nossa família! Nosso nome!

OTTO  -  Vamos lamentar, vamos nos aborrecer muito... mas isto precisava ser feito mamãe!

FOI COM ESPANTO QUE TODOS OS OLHOS SE MOVERAM PARA A PORTA DE ENTRADA E PARA A MULHER QUE, EMPURRANDO COM BRUTALIDADE A CRIADA, ENTROU PELA CASA ADENTRO. ERA NANÁ.

A MULHER PARECIA INTEIRAMENTE TRANSTORNADA E SE DIRIGIU A OTTO MULLER, ATIRANDO-LHE O JORNAL NA CARA.

NANÁ  -  Olha aqui, seu careca sem-vergonha! Eu vim te dizer que isto não me mete medo! Você não pense que pode fazer o que pretende contra meu filho!

OTTO  -  Seu filho vai morrer de vergonha quando ler este jornal!

NANÁ  -  Ele pode morrer de vergonha, mas você não vai conseguir o que pretende, está me ouvindo?

OTTO  -  Vou mandar fechar seu cabaré!

NANÁ  -  Você desconhece que existe lei e que um simples desejo do prefeito não pode resolver nada? Feche, se puder. Mas de mim, você não vai conseguir nada!

E QUANDO A MULHER AMEAÇOU AVANÇAR CONTRA O HOMENZARRÃO, OTTO ESCONDEU-SE, AMEDRONTADO, POR TRÁS DA MÃE. AGARRANDO-LHE O BRAÇO COM NERVOSISMO, DAVA SALTINHOS HISTÉRICOS.

OTTO  -  Faça essa mulher sair daqui!

CORTA PARA:

CENA 3  -  CASA DE BABY E INÊS  -  SALA  -  INTERIOR  -  NOITE.

JÁ ERA NOITE FECHADA, QUANDO RICARDO ALCANÇOU A PORTA DA MODESTA RESIDENCIA DE BABY E INÊS. SEM MUITA CONVERSA, O ENGENHEIRO ENTREGOU O JORNAL ABERTO AO RAPAZ.

BABY  -  O que é?

RICARDO  -  Leia. Vai entender.

À MEDIDA QUE TOMAVA CONHECIMENTO DA MATÉRIA, AS FEIÇÕES DE BABY SE TRANSTORNAVAM. ERAM AGORA AS DE UM HOMEM ENVELHECIDO E ANGUSTIADO.

BABY  -  Como... é possível? O que é isso?! É a revelação de tudo... de toda a minha vida. A verdade sobre... sobre Naná!

INÊS ESPANTOU-SE, VENDO A TRANSFORMAÇÃO DO MARIDO.

INÊS  -  Gente... o que foi?!

BABY  -  Aquela vigarista! Eu disse a você, Inês... e não me enganei. Veja isto aqui. Declarações de minha... minha mãe, imagine!

INÊS  -  O que é que ela diz, Leandro?

BABY  -  Que voltou e vai reclamar na Justiça seus direitos sobre a fortuna Liberato! Era isso o que ela queria, viu? Agora está se mostrando! Botou as garras de fora! E você, muito penalizada, ainda achava que eu estava sendo cruel com a coitadinha!

INÊS  -  Não acredite nisso, Leandro! Não pode ser! Sua mãe não faria isso com você. Ela nunca demonstrou interesse por dinheiro.

BABY  -  (bateu com a mão espalmada na folha de jornal) Mas está aqui, não está? Revelações dela!

RICARDO  -  Baby, sou seu amigo e você sabe disso. Não quero defender ninguém, mas... como podemos afirmar que essas declarações foram dadas por sua mãe? Os jornais estão à procura de sensacionalismo. Infelizmente, há uma parte da imprensa que lida com essas coisas... essa espécie de matéria desagradável. Só o escândalo tem valor para esse tipo de jornal. Não é toda a imprensa... reconheça. Você se recorda que Cyro foi vítima de uma campanha igual. E veja as declarações... são também de Otto Muller. Isto já é um voto de descrédito na validade de qualquer reportagem.

INÊS  -  Dr. Ricardo tem razão, Leandro. Não faça juízo precipitado à primeira vista. A gente tem de saber das coisas antes de tudo. Ter certeza se Dona Naná disse mesmo isso.

BABY  -  Diz aqui que ela vai embargar a posse dos bens que doei aos meus companheiros....

INÊS  -  Não acredite, Leandro! Ela não está pensando em fazer isso, te garanto!

CORTA PARA:
Pé-na-Cova (Antonio Pitanga), Das Dores (Ruth de Souza) e Cesário (Carlos Eduardo Dolabella)

CENA 4  -  VILA DOS PESCADORES  -  CHOUPANA DE CYRO  -  INTERIOR  -  DIA

CYRO  -  Está mais calma?

NANÁ  -  Estou.

NANÁ AINDA NÃO SE RECUPERARA DO ABALO QUE A NOTÍCIA HAVIA LHE PRODUZIDO E PROCURARA CYRO VALDEZ PARA SER O PORTADOR DE TODA A VERDADE AO FILHO.

NANÁ  -  Vou esperar que ele me procure. E se for necessário... eu estarei disposta a dar minha autorização em qualquer momento que necessitar.

CYRO  -  (apertando-lhe as mãos) Eu direi a ele sim.

NANÁ  -  (visivelmente emocionada, os olhos lacrimosos) Só quero... que ele me procure. Que ele mesmo me peça isso. Não é por nada... é um prazer que eu quero ter... de ajudar a meu filho... pessoalmente, de alguma forma.

CYRO  -  Vá tranquila, eu direi.

CORTA PARA:

CENA 5  -  PORTO AZUL  -  CABARÉ  -  INTERIOR  -  NOITE

O MOVIMENTO NO CABARÉ ERA INTENSO ÀQUELA HORA, QUANDO A TARDE CAÍA SOBRE PORTO AZUL. VÁRIOS CARROS DE REPORTAGEM ESTAVAM ESTACIONADOS DE UM LADO E DO OUTRO DA RUA LARGA, SOMBREADA PELOS ARVOREDOS.

DEBRUÇADO NO BALCÃO, CESÁRIO BEBIA SOFREGAMENTE, ENQUANTO OS REPÓRTERES ASSEDIAVAM A DONA DO CABARÉ.

REPÓRTER 1  -  Uma palavra para o Jornal da Tarde, Dona Naná. A senhora é mesmo a mãe de Baby Liberato?

REPÓRTER  -  2  -  Vai reclamar a herança na Justiça?

REPÓRTER 1  -  Há quanto tempo estava ausente?

REPÓRTER  3  -  Que pretende fazer com tanto dinheiro?

REPÓRTER  2  -  Vai montar uma rede de cabarés?

REPÓRTER  1  -  Onde morou durante todo esse tempo?

REPÓRTER  2  -  Qual é o seu nome verdadeiro?

REPÓRTER 3  -  Onde es...

NANÁ  -  (explodiu, enfurecida, face vermelha, olhos arregalados) Chega! Eu não vou reclamar nada... não vou montar prostíbulos... nem chamar vagabundas para trabalhar comigo. Nada. Por que não me deixam em paz? Eu não tenho nada a dizer. E agora, sumam todos daqui! Sumam!

COM ENERGIA, NANÁ FOI EMPURRANDO OS JORNALISTAS PARA FORA DO ESTABELECIMENTO. OS FOTÓGRAFOS BATIAM CHAPAS, APROVEITANDO O INCIDENTE QUE FARIA, COM CERTEZA, A MANCHETE DO DIA SEGUINTE. VENDA GARANTIDA DE TODA A EDIÇÃO.

CESÁRIO PERCEBEU A PRESENÇA DE COICE DE MULA AO SEU LADO E COMPLETOU A DOSE QUE IA PELA METADE.

CESÁRIO  -  Ahhh!

COICE DE MULA  -  Que é que foi, rapaz?

CESÁRIO  -  Estava te esperando. Preciso de você, meu amigão (e apertou o braço musculoso do capataz das minas) Você é ou não é meu amigão?

VALTER CARPINELLI PENSOU UM POUCO, ANTES DE RESPONDER. NÃO ATINAVA COM AS RAZÕES QUE TINHAM LEVADO CESÁRIO A CHAMÁ-LO E A SE MOSTRAR TÃO ESQUISITO.

COICE DE MULA  -  Sou, sou... mas quero saber que bicho te mordeu. Dizem que tu anda fazendo bobagens por aí...

CESÁRIO ARREGALOU OS OLHOS COMO SE VISSE UM FANTASMA. MOVEU A CABEÇA EM CÍRCULO POR TODO O RECINTO DO CABARÉ.

CESÁRIO  -  Valter... ela... aquela mulher anda me perseguindo!

COICE DE MULA  -  (em voz baixa) Quem?

CESÁRIO  -  Júlia! (Carpinelli espantou-se) Anda atrás de mim o tempo todo! Conhece meus passos, onde eu vou, ela está atrás! Aqui mesmo... ela deve estar por aí, me vigiando. Ali... ali está ela, Valter! (esticou o dedo, apontando um ponto na junção de duas paredes. Coice de Mula olhou. Não havia nada) Manda essa mulher embora daqui. Ela quer me matar, Valter! Quer me matar da mesma forma como morreu!

COICE DE MULA  -  Você está sofrendo da bola! Vamos sair daqui!

FIM DO CAPÍTULO 103

... E NA PRÓXIMA QUINTA, CAPÍTULO INÉDITO!

SESSÃO REMAKE MUSICAL - LADY, IT'S TIME TO GO - NICKY HOPKINS

A canção Lady, It’s Time to Go, originalmente interpretada por Stu Nunnery, é apresentada no vídeo abaixo por Nicky Hopkins.
Para ouvir a versão original, favor acessar: http://biscoitocafeenovela.blogspot.com.br/2014/12/sessao-tunel-do-tempo-musical-lady-its.html.
Boa diversão!

video


LETRA

IT’S TIME TO GO

I don't know what to do but I have a few ideas
I'd like to play with
I finally have the option to destroy or salvage
Something I have gained
And I'm no longer tempted
Feel exempted from the pressures of a life time
So, I'll have my fantasies and let them take me
Where they'd like to go

I am content to have my bad days
No longer need to hide the pain
Lady it's time to go

I always knew the secret but I'd keep it to myself
Until it killed us
For when I was alone with you I'd trouble finding
words enough to say
You never really changed it, the arrangement wasn't
What I had in mind
And even though I loved you I had friends and time
I needed even more

Life is ahead for you and me
We have to be alone to see
Lady it's time to g

TRADUÇÃO

SENHORA, É HORA DE IR

Esta sugestão está correta?Você pode votar ou sugerir uma melhorx
Eu não sei o que fazer, mas tenho algumas idéias0Anônimo
Participe das traduções do Vagalume!
Acesse para sugerir e votar nas melhores traduções!Acesse »
Eu não sei o que fazer, mas tenho algumas idéias
Eu gostaria de pô-las em prática
Finalmente eu tenho a opção de destruir ou salvar
Algo que eu ganhei
Não estou mais tentado
Isento-me das pressões da vida
Pegarei mnhas fantasias e as deixarei me levarem
Para onde eu gostaria de ir

Eu me contento em ter meus dias ruins
Não preciso mais esconder a dor
Senhora é hora de partir

Eu sempre soube o segredo, mas eu guardei para mim
Até que ele nos destruiu
Pois quando eu estava sozinho com você eu tinha
dificuldade em encontrar palvras para lhe dizer
Você de fato nunca mudou, e o acordo não foi
O que eu tinha em mente
E embora eu tenha te amado, eu tinha amigos e tempo
dos quais eu precisava mais

A vida está para ser vivida para você e para mim
Temos que estar sozinhos pra enxergar
Senhora é hora de partir

Fonte da letra e da tradução: http://www.vagalume.com.br/stu-nunnery/lady-its-time-to-go-traducao.html#ixzz3KgKvIR2A