sábado, 31 de dezembro de 2016

PARA MEDITAR



SESSÃO FOTONOVELA - UMA VIDA ROUBADA

A fotonovela abaixo pertence à revista Sétimo Céu nr. 135, publicada em junho de 1967.
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa leitura!





























sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

SESSÃO CAPAS E PÔSTERES

A capa pertence à revista Sétimo Céu nr. 135, publicada em junho de 1967.
Já o pôster é parte da revista Contigo nr. 274, que foi às bancas em março de 1979.
Boa diversão!



Fonte: http://3.bp.blogspot.com/-vfbveAd2q6I/VqXv8VQoEKI/AAAAAAAAIxs/HtAvGLTr-5U/s1600/274-36.jpg

SESSÃO FOTO QUIZ

A foto da semana passada pertence ao ator, diretor de cinema e roteirista de cinema e televisão José Mojica Marins, mais conhecido por Zé do Caixão.
Agora tentem descobrir quem é o jovem da foto.
Eis algumas pistas:
1) Este músico, arranjador e compositor, já falecido, nasceu no interior da Paraíba no ano de 1930.
2) Estreou em disco no ano de 1956.
3) Apresentou-se algumas vezes no exterior.
Boa diversão!


quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

SESSÃO LEITURA - O ATEU - RACHEL DE QUEIROZ

O texto abaixo é de autoria de Rachel de Queiroz.
Para maiores informações sobre o autor, favor acessar: http://www.releituras.com/racheldequeiroz_bio.asp.
Boa leitura!

O ATEU

Era uma vez, já faz muito tempo, havia um homem que era ateu. Naquele pequeno povoado onde morava não existia nenhum outro ateu igual a ele, de forma que o coitado vivia em grande isolamento. Mas era orgulhoso e não se queixava, mesmo quando se sentia mais solitário, por exemplo nos dias de domingo em que todo o povo da terra ia ouvir missa e ele ficava vagando entre as árvores da praça; ou na véspera de Natal, quando as pessoas só se preocupavam com o Presépio e com a Missa do Galo. Tocavam os foguetes, os sinos repicavam, todo o mundo se alegrava e ia cear, mas o ateu declinava os convites que lhe faziam: não tendo rezado não se achava com direito à ceia, pois ele com ser ateu não deixava de ser honesto; trancava-se em casa e ficava de vela acesa, lendo um dos seus livros de ateísmo. E, se alguma das pessoas vindas de longe para assistir às festas naquele povoado, estranhava a silhueta do homem solitário a ler junto à fresca da janela e perguntava por que não estava ele na missa ou na ceia, o povo da terra explicava:
– Ele não pode, coitado. É o nosso ateu.
No mais, o ateu vivia como os outros. Trabalhava no seu ofício, plantava couve e orégano no quintal, criava dois cachorros perdigueiros e, à boca da noite, tomava parte na roda dos conterrâneos que conversavam sentados nos degraus do chafariz. E quando a conversa tocava em assunto de religião sempre havia um a observar:
– Você, que é ateu…
Mas, então chegou um ano em que o nosso ateu, por diversas razões, parece que deu para se sentir ainda mais só. Esqueci de contar que ele era solteiro. Embora a cidade alimentasse um certo orgulho em possuir aquela singularidade – um ateu público-, as moças não sentiam coragem de casar com um homem assim marcado e que, mal expirasse, iria decretado para o inferno. Veio uma peste canina e matou os dois cachorros perdigueiros; parecia castigo para mais agravar a solidão do pobre ateu. E os livros dele, de tão lidos e relidos, já não lhe contavam mais nada. De dia, o trabalho ajudava a fazer companhia; e de tarde tinha os amigos. Mas nessas eras antigas os homens eram muito religiosos e grande parte do tempo levavam na igreja: de manhã era a missa, de tarde o terço, de noite a novena e, a qualquer pequena festa, as procissões. E nessas horas numerosas em que toda a gente se metia na igreja, o ateu saía de casa, sentava à sombra do cruzeiro, sentia o cheiro bom do incenso queimando nos turíbulos, e lhe dava uma certa vontade de entrar, de ver o dourado nas vestes dos santos, e escutar o belo latim do padre. Mas continha-se; que diria o povo se o visse lá dentro?
Outras ocasiões de inveja tinha-as nos dias de procissão, quando todos os seus amigos vestiam uma opa de seda colorida e iam carregar o andor, as varas do pálio ou os tocheiros acesos, e ele ficava nas esquinas, as mãos penduradas dos cotovelos, na sua roupa velha do diário. Então voltava a trabalhar, embora fosse dia de festa, e ninguém se escandalizava com isso pois todos compreendiam a sua condição de ateu, embora lhe lamentassem a desventura.
E foi aí, na altura do fim desse ano, apareceu uma moça – por sinal sobrinha do padre – que se apaixonou pelo ateu. Como começou ninguém sabe, mas o amor tem disso: vai passando uma moça pela rua, vê um homem que toda a vida viu, e de repente sente um baque no peito e está amando aquele homem. Ele a princípio ficou apenas enternecido ante os olhos que ela lhe punha, tão doces e amigos; mas depois, descobrindo-se amado – ele, a quem ninguém amava-, começou a amá-la também.
E todas as pessoas do lugarejo lamentavam os namorados, sabendo que podiam pensar em casamento, que o padre não iria entregar a sua ovelhinha inocente às mãos de um ateu confesso.
Assim chegou o Natal e foi arrumando o Presépio e começou a romaria dos visitantes que iam beijar o pé do Menino. E a namorada do ateu deu de teimar que ela a acompanhasse nessa visita obrigatória. Ele dizia que não e só com muito custo consentiria em entrar na sala e ficar a um canto, enquanto ela fizesse a sua devoção. Mas assim a rapariga não aceitava:
– Que é que custa um beijo? Você não me beija?
Ele sorria:
– Mas você é gente, é de carne e eu lhe quero bem. O Menino, como vocês chamam, é um bonequinho de louça.
A moça argumentou que de louça também era a xícara que ele levava aos lábios e não lhe fazia mal nenhum. Ele então alegou o seu amor-próprio. Afinal era o ateu dali, o único. A moça nesse ponto começou a chorar, a dizer que se ele tinha mais amor-próprio do que amor a ela estava tudo acabado. O ateu se assustou com a ameaça e consentiu, embora constrangido. Acompanhou à moça triunfante; entrou na fila atrás dela, enfrentou os olhares de espanto. De um em um, os devotos paravam diante da manjedoura, dobravam o joelho, rezavam uma jaculatória e beijavam o pé do Menino. Chegou a vez da namorada que, feita a sua reverência e dado o beijo, virou-se e sorriu para o seu bom ateu, a fim de o animar. Ele correu o olhar em torno e viu em todos o mesmo ar de animação e esperança. Resolveu-se: dobrou o joelho áspero, curvou a cabeça sobre os pezinhos do santo. E sentiu debaixo dos lábios, não o frio da porcelana, mas o calor da carne, o movimento, a pulsação da carne. Ergueu os olhos assombrado. Encarou o Menino e viu que Ele lhe sorria radioso, e dos olhos lhe saía uma luz que jamais olhos de louça teriam.
Dizem que o ateu caiu no chão, com os braços em cruz, chorando e adorando. E naquela noite de Natal acabou-se o único ateu do povoado.
Mas dizem também que ele não se casou com a namorada. Não podia, pois largou tudo e foi ser frade.

SESSÃO ABERTURA DE NOVELA - DA COR DO PECADO

A novela Da Cor do Pecado foi apresentada pela Rede Globo no horário das 19h de 26 de janeiro a 28 de agosto de 2004.
O tema musical de abertura era Da Cor do Pecado, interpretado por Luciana Mello.
Para maiores informações sobre a novela, favor acessar: http://www.teledramaturgia.com.br/da-cor-do-pecado/.
Boa diversão!



LETRA

DA COR DO PECADO

Esse corpo moreno
Cheiroso e gostoso
Que você tem,
É um corpo delgado,
Da cor do pecado
Que faz tão bem.

Esse beijo molhado, escandalizado,
Que você tem
Tem sabor diferente
Que a boca da gente jamais esqueceu.

Quando você me responde
Umas coisas com graça
A vergonha se esconha
Porque se revela a maldade da raça
Esse cheiro de mato,
Tem cheiro de foto, saudade, tristeza
Essa simples beleza, teu corpo moreno enlouquece.

Não sei nem porque
Só sinto na vida o que vem de você

Esse corpo moreno
Cheiroso e gostoso
Que você tem,
É um corpo delgado,
Da cor do pecado
Que faz tão bem.

Esse beijo molhado, escandalizado,
Que você tem
Tem sabor diferente
Que a boca da gente jamais esqueceu.
Tem sabor diferente que a boca da gente jamais esqueceu.

Eu não sei bem porque,
Só sinto na vida o que vem de você.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

SESSÃO SAUDADE - GEORGE MICHAEL

Muitos artistas foram marcantes nas décadas de 80 e 90 do século 20. Um deles é o nosso homenageado desta semana: George Michael.
Seja na dupla Wham!, seja em carreira solo, George foi presença marcante nessas décadas musicais tão destacadas.
Obrigado, George Michael, por nos ter brindado com sua música!
Descanse em paz!
Para saber mais sobre esse artista, favor acessar: https://pt.wikipedia.org/wiki/George_Michael.
Com o objetivo de homenageá-lo, reproduzimos abaixo dois de seus sucessos. O primeiro é Wake me Up Before You Go Go, ainda na dupla Wham!, o segundo, já em carreira solo, é Careless Whisper.

PRIMEIRO VÍDEO



LETRA

WAKE ME UP BEFORE YOU GO GO

Jitterbug
Jitterbug
Jitterbug
Jitterbug
You put the boom boom into my heart
You send my soul sky high when your loving starts
Jitterbug into my brain
Goes a bang bang bang till my feet do the same
If something's bugging you
If something ain't right
My best friend told me what you did last night
Left me sleeping in my bed
I was dreaming but I should have been with you instead

Wake me up before you go-go
Don't leave me hanging on like a yo-yo
Wake me up before you go-go
I don't want to miss it when you hit that high
Wake me up before you go-go
'Cause I'm not planning on going solo
Wake me up before you go-go
Take me dancing tonight
I wanna hit that high

You put the grey skies out of my way
You make the sun shine brighter than Doris Day
You turn a bright spark into a flame
My beats per minute never been the same
'Cause you're my lady I'm your fool
It makes me crazy when you act so cruel
Come on baby let’s not fight
We'll go dancing everything will be alright

Wake me up before you go-go
Don't leave me hanging on like a yo-yo
Wake me up before you go-go
I don't want to miss it when you hit that high
Wake me up before you go-go
'Cause I'm not planning on going solo
Wake me up before you go-go
Take me dancing tonight
I wanna hit that high
yeah, yeah, yeah
jitterbug, jitterbug

Cuddle up baby move in tight
We'll go dancing tomorrow night
It's cold out there but its warm in bed
They can dance, we'll stay home instead
jitterbug

Wake me up before you go-go
Don't leave me hanging on like a yo-yo
Wake me up before you go-go
I don't want to miss it when you hit that high
Wake me up before you go-go
'Cause I'm not planning on going solo
Wake me up before you go-go
Take me dancing tonight
I wanna hit that high

TRADUÇÃO

Acorde-me antes de você ir ir

Música do balanço
Música do balanço
Música do balanço
Música do balanço
Você põe o meu coração para fazer bumbum
Você manda a minha alma céu acima quando seu amor começa
Música do balanço dentro do meu cérebro
Faz bang bang até meus pés fazerem o mesmo
Se algo está te incomodando
Se algo não está certo
Meu amigo me contou o que você fez na noite passada
Me deixou dormindo na minha cama
Eu estava sonhando, mas eu deveria ter ficado com você

Acorde-me antes de você ir ir
Não me deixe pendendo feito um ioiô
Acorde-me antes de você ir ir
Eu não quero perder quando você alcançar o alto
Acorde-me antes de você ir ir
Porque eu não estou planejando seguir só
Acorde-me antes de você ir ir
Leve-me para dançar esta noite
Eu quero alcançar o alto

Você colocou o céu cinzento fora do meu caminho
Você faz o sol brilhar mais que Doris Day
Você transforma uma faísca numa chama brilhante
Meus batimentos por minuto nunca mais serão os mesmos
Porque você é a minha garota, Eu sou o seu bobo
Me deixa louco quando você é cruel comigo
Vamos lá meu bem, não vamos brigar
Nós iremos dançar e tudo ficará bem

Acorde-me antes de você ir ir
Não me deixe pendendo feito um ioiô
Acorde-me antes de você ir ir
Eu não quero perder quando você alcançar o alto
Acorde-me antes de você ir ir
Porque eu não estou planejando seguir só
Acorde-me antes de você ir ir
Leve-me para dançar esta noite
Eu quero alcançar o alto
Yeah, yeah, yeah

Abrace logo querida, e segure bem forte
Nós estaremos dançando amanhã à noite
Está frio lá fora, mas a cama está aquecida
Eles podem dançar, nós ficaremos em casa ao invés disso

Acorde-me antes de você ir ir
Não deixe-me pendendo feito um ioiô
Acorde-me antes de você ir ir
Eu não quero perder quando você alcançar o alto
Acorde-me antes de você ir ir
Porque eu não estou planejando seguir só
Acorde-me antes de você ir ir
Leve-me para dançar esta noite
Eu quero alcançar o alto


SEGUNDO VÍDEO



LETRA

CARELESS WHISPER

I feel so unsure
As I take your hand and lead to the dance floor
As the music dies, something in your eyes
Calls to mind the silver screen
And all its sad good-byes

I'm never gonna dance again
Guilty feet have got no rhythm
Though it's easy to pretend
I know you are not a fool

Should've known better than to cheat a friend
And waste the chance that I've been given
So I'm never gonna dance again
The way I danced with you

Time can never mend
The careless whispers of a good friend
To the heart and mind
Ignorance is kind
There's no comfort in the truth
Pain is all you'll find

I'm never gonna dance again
Guilty feet have got no rhythm
Though it's easy to pretend
I know you are not a fool

Should've known better than to cheat a friend
And waste this chance that I've been given
So I'm never gonna dance again
The way I danced with you

Never without your love

Tonight the music seems so loud
I wish that we could lose this crowd
Maybe it's better this way
We'd hurt each other
with the things we'd want to say

We could have been so good together
We could have lived this dance forever
But now who's gonna dance with me
Please stay

And I'm never gonna dance again
Guilty feet have got no rhythm
Though it's easy to pretend
I know you're not a fool

Should've known better than to cheat a friend
And waste the chance that I've been given
So I'm never gonna dance again
The way I danced with you

(now that you're gone) now that you're gone
(now that you're gone) what I did so wrong
That you had to leave me alone

TRADUÇÃO

SUSSURRO DESCUIDADO

Me sinto tão inseguro
Quando pego a sua mão e te levo à pista de dança
Enquanto a música acaba, alguma coisa em seus olhos
Traz a lembrança de uma tela prateada
E tudo são despedidas tristes

Eu nunca dançarei de novo
Estes pés culpados não têm ritmo
Embora seja fácil fingir
Eu sei que você não é tola

Deveria saber que não se deve enganar um amigo
E desperdiçar a chance que foi dada
Então eu nunca mais dançarei de novo
Do jeito que dancei com você

O tempo nunca poderá reparar
Os sussurros descuidados de um bom amigo
Para o coração e a mente
A ignorância é gentil
Não há nenhum conforto na verdade
Dor é tudo o que você encontrará

Eu nunca dançarei de novo
Estes pés culpados não têm ritmo
Embora seja fácil fingir
Eu sei que você não é tola

Deveria saber que não se deve enganar um amigo
E desperdiçar a chance que foi dada
Então eu nunca mais dançarei de novo
Do jeito que dancei com você

Nunca sem seu amor

Esta noite a música parece tão alta
Gostaria que estivéssemos longe desta multidão
Talvez seja melhor assim
Nós poderíamos nos machucar
com as coisas que queremos dizer

Poderíamos ter nos dado tão bem juntos
Poderíamos ter vivido essa dança para sempre
Mas agora quem vai dançar comigo?
Por favor, fique

Eu nunca dançarei de novo
Estes pés culpados não têm ritmo
Embora seja fácil fingir
Eu sei que você não é tola

Deveria saber que não se deve enganar um amigo
E desperdiçar a chance que foi dada
Então eu nunca mais dançarei de novo
Do jeito que dancei com você

(Agora que você se foi) Agora que você se foi
(Agora que você se foi) O que eu fiz de tão errado?
Tão errado que você teve que me deixar sozinho

Fonte: https://www.vagalume.com.br/george-michael/careless-whisper-traducao.html

SESSÃO HUMOR

O caipira entra no cartório para registrar o filho:
- Pois não - diz a atendente (até parece que eles são tão educados, só em piada, mesmo) - Qual o nome da criança?
- Ebatata de Souza!
- Ebatata?
- Sim! Ebatata de Souza!
- Desculpe-me, senhor! Mas com esse nome eu não posso registrá-lo.
- Por que não?
- Porque Ebatata não é nome de gente! Aliás, onde o senhor arranjou esse nome?
- É que eu sou plantador de batatas!
- E daí?
- É que o meu vizinho é plantador de milho e colocou o nome do filho dele de Emilho!

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

SESSÃO REMAKE MUSICAL - MOONLIGHT SERENADE - JOHN WILLIAMS E THE BOSTON POPS ORCHESTRA

A canção Moonlight Serenade, originalmente interpretada por The Glenn Miller Orchestra, é apresentada no vídeo abaixo por John Williams e The Boston Pops Orchestra.
Boa diversão!


SESSÃO TÚNEL DO TEMPO MUSICAL - MOONLIGHT SERENADE - THE GLENN MILLER ORCHESTRA

A canção Moonlight Serenade, interpretada por The Glenn Miller Orchestra, fez parte da trilha sonora da novela Escalada, apresentada pela Rede Globo no horário das 20h de 6 de janeiro a 26 de agosto de 1975.
Para maiores informações sobre a novela, favor acessar: http://www.teledramaturgia.com.br/escalada/.
Boa diversão!