terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

SESSÃO REMAKE MUSICAL - LÁ VOU EU - ZÉLIA DUNCAN

A canção Lá Vou Eu, originalmente interpretada por Rita Lee, é apresentada no vídeo abaixo por Zélia Duncan.
Boa diversão!

video


LETRA

LÁ VOU EU

Num apartamento perdido na cidade,
Alguém está tentando acreditar
Que as coisas vão melhorar ultimamente.
A gente não consegue
Ficar indiferente debaixo desse céu

No meu apartamento
Você não sabe o quanto voei,
O quanto me aproximei de lá da Terra
Num apartamento perdido na cidade,
Alguém está tentando acreditar
Que as coisas vão melhorar ultimamente.
No meu apartamento
Você não sabe quanto voei,
O quanto me aproximei de lá da Terra.

As luzes da cidade não chegam as estrelas sem antes me buscar.
Na medida do impossível tá dando pra se viver.
Na cidade de São Paulo, o amor é imprevisível
Como você e eu e o céu.
Num apartamento perdido na cidade
Alguém está tentando acreditar
Que as coisas vão melhorar ultimamente
A gente não consegue
Ficar indiferente debaixo desse céu.

No meu apartamento
Você não sabe o quanto voei
O quanto me aproximei de lá da Terra, não.
As luzes da cidade não chegam as estrelas sem antes me buscar.
Na medida do impossível tá dando pra se viver
Na cidade de São Paulo, o amor é imprevisível
Como você e eu e o céu.


SESSÃO TÚNEL DO TEMPO MUSICAL - LÁ VOU EU - RITA LEE

A canção Lá Vou Eu, interpretada por Rita Lee, fez parte da trilha sonora da novela O Grito, apresentada pela Rede Globo no horário das 22h de 27 de outubro de 1975 a 30 de abril de 1976.
Para maiores informações sobre a novela, favor acessar: http://www.teledramaturgia.com.br/o-grito/.
Boa diversão!

video


LETRA

LÁ VOU EU

Num apartamento
Perdido na cidade
Alguém está tentando acreditar
Que as coisas vão melhorar
Ultimamente
A gente não consegue
Ficar indiferente
Debaixo desse céu
Do meu apartamento
Você não sabe o quanto eu voei
O quanto me aproximei
De lá da Terra
As luzes da cidade
Não chegam nas estrelas
Sem antes me buscar
E na medida do impossível
Tá dando pra se viver
Na cidade de São Paulo
O amor é imprevisível como você
E eu
E o céu

Lá vou eu
Com o que Deus me deu
Escutando o som
Conquistando o céu
Desprezando o chão
Da janela do sétimo andar
Sem elevador
E a cara feia do zelador
Venha correndo
Venha, venha me dar amor

Fonte: https://www.letras.mus.br/rita-lee/82884/

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

SESSÃO RETRÔ - VARIEDADES - GILBERTO GIL

A reportagem abaixo foi publicada na revista Sétimo Céu nr. 146, que foi às bancas em maio de 1968.
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa diversão!


SESSÃO RETRÔ - NOVELAS - VITÓRIA BONELLI - SEGUNDA PARTE

A reportagem abaixo é parte da revista Momentos Maravilhosos de Vitória Bonelli, publicada em 1973.
A novela Vitória Bonelli foi apresentada pela Rede Tupi no horário das 19h de 13 de setembro de 1972 a 14 de julho de 1973.
Para saber mais sobre essa novela, favor consultar: http://www.teledramaturgia.com.br/vitoria-bonelli/.
Na semana que vem tem mais!
Acompanhem!
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa leitura!




sábado, 25 de fevereiro de 2017

PARA MEDITAR



SESSÃO FOTONOVELA - ENTRE O AMOR E A FAMA

A fotonovela abaixo pertence à revista Amiga TV Tudo nr. 184, publicada em 27 de novembro de 1973.
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa leitura!

















sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

SESSÃO CAPAS E PÔSTERES

A capa pertence à revista Amiga TV Tudo nr. 184, publicada em 27 de novembro de 1973.
Já o pôster é parte da revista Sétimo Céu nr. 146, que foi às bancas em maio de 1968.
Boa diversão!



SESSÃO FOTO QUIZ

A foto da semana passada pertence à atriz Rosanne Mulholland.
Agora tentem descobrir quem é a garota da foto.
Eis algumas pistas:
1) Esta cantora e atriz, já falecida, nasceu no ano de 1909.
2) Sua primeira gravação é do ano de 1929.
3) Fez muito sucesso no mundo inteiro e possuía uma irmã que também era cantora.
Boa diversão!


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

SESSÃO LEITURA - CRÔNICA DO DESEMPREGO - WALCYR CARRASCO

O texto abaixo é de autoria de Walcyr Carrasco.
Para maiores informações sobre o autor, favor acessar: https://www.ebiografia.com/walcyr_carrasco/.
Boa leitura!

CRÔNICA DO DESEMPREGO

Ele trabalhou a vida inteira em uma empresa. Subiu. Tornou-se diretor. Mas há sempre uma crise pronta para detonar uma bomba. À medida que os anos passam, surge um processo de “modernização” na empresa. Na prática, substituir os velhos pelos novos. Ainda mais nos tempos de internet, em que o mais velho nem sempre é tão bom no uso de tecnologia e redes sociais quanto o mais novo. Tem mais: a crise de desemprego que assola o país. As empresas estão num processo de enxugamento. Quem ficar, fica, mas trabalha três vezes mais. O diretor todo-poderoso é o desempregado de amanhã. Só que ele sai, recebe uma grana e, calmamente, tira férias com a família em algum lugar no exterior. Vai procurar alguma coisa depois. Mantém o padrão de vida, alto. Acredita que, com sua experiência, não tardarão a surgir ofertas.
Só que não surgem.
Mesmo os amigos, bem empregados ou donos de empresas, não têm notícia de vaga a sua altura. Se aparece, com salário mais baixo e função menor, a partir de certo momento de desespero ele está disposto a aceitar. Os possíveis empregadores resolvem que não. Argumentam.
– Você não vai se sentir confortável nesse cargo, muito abaixo de sua capacidade.
Os meses passam, o dinheiro escoa. Há promessas feitas, tem de cumprir: o intercâmbio da filha, em dólares; o jantar de aniversário num restaurante caro, que ele paga. Enfim, o ex-poderoso resolve montar sua própria empresa. Em geral, opta por algo que tenha a ver com seu estilo de vida e gosto pessoal. Importação de vinhos, por exemplo. Há algo que sempre digo quando vejo alguém nessa situação:
– Agora a empresa é sua. Economize nos clipes!
Executivos com longa carreira em empresa grande estão acostumados com estruturas macro. Alugam um bom conjunto comercial. Decoram. Botam secretária. Criam uma estrutura confortável, mas cara. Resultado: a empresa custa mais que fatura. O executivo vai pondo dinheiro. As reservas se esgotam. Ah, bom. Tem aquele quadro comprado na abundância. Leiloa-se. Dispensa-se o motorista. As idas a restaurante de luxo diminuem ou acabam. Aí a empresa que montou vai por água abaixo. Fica sem renda. A família ajuda aqui e ali, quando pode. Muitos, porém, vêm da classe média, subiram por meio do estudo. E o pais têm menos que eles. Obviamente, há níveis e níveis. Conheci um executivo de menor porte que, depois de dois anos sem nada, montou com a mulher uma van de cachorro-quente. Também não deu certo. Foram morar com a sogra. Numa das brigas – falta de dinheiro sempre dá briga –, saiu de casa. Foi morar na rua. Depois, não soube mais dele. Outros têm mais sorte. A mulher herdou alguma coisa, por exemplo. Um apartamento. Botam à venda, perdem dinheiro no negócio. Enfim, conseguem um capitalzinho para recomeçar.
Justamente por isso, estão surgindo novos ramos de negócio. Já conheço dois casos em que a opção foi montar uma loja de churrasco. Vendem tudo o que é necessário: a carne, o sal grosso, o espeto. Hiperespecializada, mas funciona. As pessoas gostam de fazer churrasco – e, se assim fica mais fácil, melhor. Também têm se multiplicado as barbearias retrô. Já me convidaram para ser sócio de uma. São barbearias onde ainda se faz o corte à navalha. Mas têm bebidas, música. Quase uma festa. O cliente faz a barba, bebe e se diverte. Também surgiu uma onda de lojas de bolos caseiros. São os bolos simples e baratos, como se fossem feitos pela vovó (embora as vovós de hoje prefiram fazer plástica e não bolos). Há redes grandes e pequenas. Têm aspecto artesanal. Já apareceram também as de brigadeiros e pudins. Até em shopping há quiosque de pudim. Os desempregados menos apegados a seu estilo de vida partem para uma alternativa dessas ou algo na mesma linha.
Em geral, porém, quando alguém, como o ex-diretor de quem eu falava, cai na real é tarde demais para montar um negócio mais simples, mais prático. O dinheiro acabou. A saída é o Uber. Em grandes centros, como São Paulo, há até fila para ser motorista do Uber. As locadoras alugam veículos para isso. É uma atividade em franca expansão, por oferecer um serviço diferenciado, frequentemente mais barato que um táxi convencional. Confesso, já fiquei muito de mau humor em táxis cujos motoristas nunca têm troco ou pegam caminho ruim. No Uber, não. O valor é informado antes. Os motoristas são educados. Não se espante se amanhã tomar um e der de cara com seu ex-patrão. A trajetória de alto executivo a motorista de Uber tornou-se mais comum do que se pensa.

SESSÃO ABERTURA DE NOVELA - SOLAR PARAÍSO

A novela Solar do Palácio foi apresentada pelo TVS do Rio de Janeiro, emissora que pertencia a Sílvio Santos antes da formação do SBT, no ano de 1978.
Não há informações sobre o horário ou o enredo da novela.
Pelas imagens da abertura, presume-se que envolva algo em torno de um velho casarão, talvez a tentativa de salvá-lo de uma venda indesejada, e conte as aventuras de algumas crianças, por conta do elevado número de meninos e meninas que aparecem.
Informações sobre o elenco e pequenos detalhes sobre a obra podem ser encontrados em http://www.teledramaturgia.com.br/solar-paraiso/.
O tema musical de abertura, segundo nossas pesquisas, é uma versão alternativa de Suicide in Painless, música de abertura do seriado americano Mash. Essa informação foi obtida nos comentários do próprio site que contém a abertura da novela.
Nossos agradecimentos ao amigo Phelipe Mello, do Facebook, pela indicação dessa abertura!
Boa diversão!

video


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

SESSÃO SAUDADE - AL JARREAU

Eclético, assim pode ser definido nosso homenageado desta semana: o cantor Al Jarreau, que faleceu há poucos dias atrás.
Cantor de jazz, pop e blues, foi premiado com o Grammy nessas três categorias diferentes.
Obrigado, Al Jarreau, por sua música encantadora!
Descanse em paz!
Para saber mais sobre esse artista, favor acessar: http://www.letras.com.br/biografia/al-jarreau.
Com o objetivo de homenageá-lo, reproduzimos abaixo um de seus sucessos, We're In This Love Together, de 1981.

video


LETRA

We're In This Love Together

It's like a diamond ring
It's a precious thing
And we never want to lose it
It's like a favorite song
That we love to sing
Every time we hear the music

We're in this love together
We got the kind that lasts forever
We're in this love together
And like berries on the vine
It gets sweeter all the time

Its like a rainy night in candlelight
And, ooh it's so romantic
We got the whole thing working
Out so right
And it's just the way we planned it

We're in this love together
We got the kind that lasts forever
We're in this love together
And like berries on the vine
It gets sweeter all the time

We're in this love together
We got the kind that lasts forever
We're in this love together
And like berries on the vine
It gets sweeter all the time

TRADUÇÃO

ESTAMOS NESTE AMOR JUNTOS

É como um anel de diamante
É uma coisa preciosa
E nós nunca queremos perder isso
É como uma canção favorita
Que gostamos de cantar
Cada vez que ouvimos a música

Estamos neste amor juntos
Temos o tipo que dura para sempre
Estamos neste amor juntos
E como bagas na videira
Ele fica mais doce o tempo todo

É como uma noite chuvosa à luz de velas
E, ooh, é tão romântico
Temos a coisa toda funcionando
Tão certo
E essa a maneira que nós planejamos

Estamos neste amor juntos
Temos o tipo que dura para sempre
Estamos neste amor juntos
E como bagas na videira
Ele fica mais doce o tempo todo

Estamos neste amor juntos
Temos o tipo que dura para sempre
Estamos neste amor juntos
E como bagas na videira
Ele fica mais doce o tempo todo

Fonte da letra e tradução com modificações: https://www.letras.mus.br/al-jarreau/165089/traducao.html.

SESSÃO HUMOR

Uma senhora decidiu saber se os maridos de suas três filhas gostavam dela.
No dia seguinte, foi dar uma voltinha com o primeiro e, na beira de um lago, escorrega, cai e sem saber nadar, começa a se afogar. O cara, sem vacilar, pula na água e a resgata.
Um dia depois, encontra na porta da sua casa um carro popular com o seguinte recado:
- Obrigado. Da tua sogra que te adora.
Passados alguns dias, foi dar uma voltinha com o segundo e, na beira de mesmo lago, escorrega, cai e sem saber nadar, começa a se afogar. O cara, sem vacilar, pula na água e a resgata.
Após um dia, encontra na porta da sua casa um carro popular com o seguinte recado:
- Obrigado. Da tua sogra que te adora.
Foi com o terceiro e, na beira do lago, escorrega, cai e de novo começa a se afogar. O cara fica olhando para a mulher se afogando e diz:
- Velha miserável, há anos que eu esperava por isso!
E vai embora.
No dia seguinte, encontra na porta da sua casa um carro importado com o seguinte recado:
- Obrigado. Do teu sogro que te adora.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

SESSÃO REMAKE MUSICAL - THEME FROM "DYING YOUNG" - ALOYSIO RACHID

A canção Theme from “Dying Young”, originalmente interpretada por Kenny G, é apresentada no vídeo abaixo por Aloysio Rachid.
Boa diversão!

video

SESSÃO TÚNEL DO TEMPO MUSICAL - THEME FROM "DYING YOUNG" - KENNY G

A canção Theme from “Dying Young”, interpretada por Kenny G, fez parte da trilha sonora da novela Felicidade, apresentada pela Rede Globo no horário das 18h de 7 de outubro de 1991a 30 de maio de 1992.
Para maiores informações sobre a novela, favor acessar: http://www.teledramaturgia.com.br/felicidade/.
Boa diversão!

video